Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Iceberg

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

O iceberg se nos aparece de ponta cabeça. Está aí o preço do mais desvairado desvio de conduta de autoridades no exercício de suas funções, que se ampliado vai mostrar a mais sórdida campanha lesa-pátria.

Um dia a casa iria cair...

S.Bernardelli (Funcionário público)

Finalmente o STF acordou e agiu com justiça. Essa ganância de poder todos sabe onde ela começou. E é assim que a justiça deveria agir sempre, com justiça, imparcialidade e segurança. Se tudo chegou ao ponto que foi por culpa dos próprios integrantes da lava jato e olhe que eles tiveram oportunidade de mudar suas condutas e não o fizeram. Um dia a casa iria cair.

Seriedade, por favor!

SMJ (Procurador Federal)

Depois desse papelão da "força tarefa", acentua-se muito o caráter duvidoso da legalidade e constitucionalidade das persecuções (ou perseguições?) penais por ela promovida.

Pensando seriamente, bastaria juntar essa decisão do Min. Moraes às ações penais para reforçar muito as argumentações no sentido de que elas devem ser anuladas ou absolvidos os réus. Mas aqui no Brasil é difícil se pensar seriamente. Porém, de vez em quando isso acontece. Nessa hipótese - de se pensar seriamente -, que prejuízo para a legitimidade institucional do MPF e fragilização da credibilidade de sua atuação, especialmente na Operação Lava Jato! Esta, aliás, consome muitos recursos públicos, que irão para o lixo se as perseguições penais por ela promovidas forem anuladas. Daí, além dos prejuízos da Petrobrás, incluindo possivelmente o caráter indevido desse acordo com os EUA, nós brasileiros bobos pagaremos o preço de atuação temerária de servidores públicos (ou "membros de poder", como eles e outros "se acham"), atuação essa que, ademais, pode comprometer por muito tempo qualquer ideia de luta anticorrupção no Brasil.

Se aqui é difícil seriedade, em outros países nem tanto. Por isso, ficaremos com mais cara de bobos e sem credibilidade perante eles. Capaz de, daqui a pouco, D. Trump mandar soltar o preso político da República de Curitiba, para demonstrar não ter relação com as lambanças da extrema direita brasileira.

Os meninos foram com muita sede ao pote...

SMJ (Procurador Federal)

Trecho da decisão do Ministro A. de Moraes: "A partir desse primeiro acordo celebrado entre as autoridades norteamericanas e a Petrobras, a empresa brasileira optou – em circunstâncias cuja constitucionalidade, legalidade e moralidade deverão ser analisadas durante a presente ação – pela realização de um segundo acordo, para efetivar o pagamento da multa, escolhendo, discricionariamente, como se fossem as únicas “autoridades brasileiras” nominadas no termo internacional, os Procuradores do Ministério Público Federal do Paraná. "

Comentar

Comentários encerrados em 23/03/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.