Consultor Jurídico

Notícias

Proposta antiga

Deputado requenta projeto de lei que quer acabar com o Exame de Ordem

Comentários de leitores

10 comentários

Exame da ordem deve ser mantido,

Ale silva (Administrador)

Afim de refinar os bons profissionais, defendo ainda que a carteirinha da OAB tenha validade, e que ao renovar o profissional tenha que se submeter a uma prova para testar sua capacidade, pois é fácil um universitário que estudou 5 anos de verdade e que se dedicou passar no exame, agora que ver no dia a dia se ele está apto para exercer a profissão, por isso sim deveria existir um órgão fiscalizador da profissão do operador do direito!!!! Lembrando não só desta categoria, mas de todas as categorias que exijam responsabilidade do profissional.

Sou a favor tanto do exame da ordem quanto validação

Ale silva (Administrador)

Vejo muitos comentários sobre exame da ordem, tal exame de suma importância para testar a capacidade profissional do aluno. Mas ao meu pensar deveriam juntamente com o exame da ordem, criar uma data de validade carteirinha da OAB, tipo validade de 05 anos, e para validar o advogado em exercício deverá fazer uma prova mais complexa que que a ordem aplica, para assim retirar do mercado profissionais que não tem a mínima competência de advogar, pois o exame não testa a capacidade do profissional, pois no dia a dia é que se vê como existem profissionais do direito que cometem erros inadmissíveis. Cheguei a enviar uma mensagem ao presidente da OAB, para que eles promovam esta idéia de validade de carteirinha, pois só assim teremos profissionais de qualidade no mercado, se cnh tem validade porque não a carteirinha da OAB não ter também?

Reserva de mercado.

Daniel Q O (Outros)

Os que já atuam, só defendem o exame para diminuir a concorrência. Assim como o absurdo que a pessoa, não "qualificada", sequer pode se defender na justiça. Pura reserva de mercado. Ora, se o mercado filtra o mau profissional, deixe que ele filtre. E a própria OAB pode caçar o registro do mau profissional, assim como nas demais profissões.

Além do mais, Exame da OAB é gambiarra. Se o curso é ruim, a OAB devia trabalhar para fechar o curso. Mas é mais fácil cobrar a conta do lado mais fraco. Não vamos incomodar as grandes instituições de ensino. Tem muito dinheiro e interesses envolvido, assim como o exame da OAB. O que fazemos? Penalizamos o elo mais fraco.

Quer comparar com demais profissões? Ok. CREA. Não tem exame e não tem tanto profissional ruim como na OAB, mesmo com exame. Se a OAB quer defender a sociedade, feche instituições que não ensinam o mínimo para a pessoa poder exercer a profissão. Ser conivente com quem vende um serviço deficiente, não me parece ser interesse da sociedade.

Pela manutenção do exame

Papajojoy (Estagiário - Tributária)

Pela manutenção e não apenas isso: pela ampliação, com a inclusão de conteúdos que hoje não são, em regra, contemplados, como Direito Previdenciário, por exemplo.

Combater a causa não o efeito...

Aprendiz de Mestre (Administrador)

Combater a causa não o efeito. Tem que agir nas instituições de ensino .O governo federal vai suspender a abertura de novos cursos de medicina pelos próximos cinco anos,Em nota, o MEC disse que tomou dados para a decisão. "O MEC levou em conta os dados da Organização Mundial de Sáude (OMS), que apontam que o Brasil já atingiu as metas de alunos/vagas estabelecidas, de cerca de 11.000 por ano", informa o ministério. (Por G1
17/11/2017) Tem que acabar com a maquina de arrecadação da OAB e estabelecer mecanismo para gerações futuras serem atendidas com profissionais hábeis deste o banco que estudava,com vida pregressa etc.

Argumentos inválidos e o vaticínio de Umberto Eco (1)

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

“As Redes sociais deram voz a uma legião de imbecis”.
Quem colocar essa frase no Google, logo descobrirá que provém do escritor, filósofo, semiólogo, linguista e bibliófilo italiano de fama internacional, Umberto Eco.
E tem toda razão!
As redes sociais provam isso.
Os argumentos empregados pelos detratores do Exame de Ordem são inválidos e outra coisa não pretendem senão jogar para a plateia a fim de “fazer bonito”, angariar votos, e empurrar ainda mais para o nadir a educação e a qualidade do ensino e da profissão de advogado no Brasil, já tão depauperada e degradada.
A valer esse argumento, também o ENEM teria de ser extinto. A população ficará cada vez mais a mercê de profissionais desqualificados, de analfabetos funcionais, pessoas que não sabem dizer, escrever ou transmitir o que pensam, nem conseguem entender o que outros escrevem ou dizem.
Em todo lugar que se preze, a licença para o exercício da advocacia fica a cargo da Ordem dos Advogados local.
Nos EUA, para ser advogado, é necessário ter cursado alguma outra disciplina, como ciências políticas, filosofia, sociologia, ou qualquer outra considerada “undergraduate”. O curso de direito lá, o Law School, é como que uma pós-graduação. E mesmo assim, apesar de lá ser possível a autodefesa, o paralegal, a BAR, OAB norte-americana, é rigorosíssima na admissão de novos profissionais para o exercício da advocacia. Ser advogado é coisa seriíssima. Lida-se com o direito alheio. O advogado deve ter postura de advogado, porque é o escudo do seu constituinte. Deve agir em nome e no melhor interesse deste. A advocacia é sempre fundada na fidúcia, exige do profissional não apenas conhecimento jurídico específico, mas erudição e saber em outros ramos do conhecimento também.
(continua)...

Argumentos inválidos e o vaticínio de Umberto Eco (2)

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

(continuação)...
Se outras profissões não possuem um exame filtrante, deveriam espelhar-se na Advocacia e passar a adotar um, pelo menos a medicina, a engenharia (vide Brumadinho, Mariana, etc.), a veterinária, entre outras, deveriam adotar exame congênere para licenciar o profissional ao exercício da profissão.
O Exame de Ordem não pode ser extinto. Serve ao propósito de filtrar os aspirantes ao exercício da profissão para que esta seja exercida com excelência, sem aventuras e sem chicanas.
(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

Faculdade de Direito ou de "advocacia"?

Fernando G (Advogado Autônomo - Criminal)

Acho interessante os defensores do fim do exame de ordem, em sua maioria, bacharéis que não conseguiram lograr êxito em ser aprovados, argumentando que para ser advogado, basta o diploma de graduação em curso de DIREITO reconhecido pelo MEC. Até onde eu sei, fiz faculdade de Direito, e não de "advocacia", o que pressuporia que para exercer a atividade de ADVOGADO, não bastaria somente o bacharelado. Difícil levar a sério.

vou concordar com uma coisa

Edson Ronque III (Advogado Autônomo)

realmente devia haver equiparação com outras profissões. TODAS DEVERIAM HAVER PROVA SEMELHANTE. acabar com exame da ordem agora seria jogar o direito no lixo, com a quantidade enorme de faculdades sem a mínima condição de preparar o aluno abertas e funcionando, o número de advogados que entrariam no mercado fazendo trabalhos péssimos seria uma calamidade. não vou nem falar no prejuízo dos profissionais que já atuam com o preço que cairia absurdamente porque isso seria argumento pra reserva de mercado que é proibido, isso não da pra ter mesmo. mas o advogado é essencial pra justiça, permitir a mediocridade é fazer da justiça medíocre.
sem contar que o cara passou a eleição e mandato até agora inteiro falando mal da educação brasileira que é "doutrinada", agora quer usar argumento que a faculdade sozinha já é boa o bastante? coerência pra que, né?

O Exame é necessário

RODRIGOFC (Advogado Assalariado - Civil)

O argumento de comparar com as demais profissões é pífio. Na verdade todas as profissões deveriam se espelhar na OAB e criar os respectivos exames.
Advogados lidam com direitos fundamentais do ser humano, como a liberdade, a família, o patrimônio e até mesmo a vida, por isso é fundamental que haja um controle mínimo da qualidade do ensino, pois o Exame de Ordem é o único meio de a OAB fazer o filtro da qualidade do ensino jurídico tão mercantilizado nos últimos anos, já que o MEC não o faz e as faculdades aprovam pessoas que muitas vezes não tem a menor condição. Conheço casos e bacharéis que não poderiam sequer ter concluído o segundo grau, pois não sabem escrever. Segundo informações o Nobre Deputado tem interesse até pelo fato de parente próximo não ter conseguido passar em alguns exames.

Comentar

Comentários encerrados em 19/03/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.