Consultor Jurídico

Colunas

Diário de Classe

Politização do sofrimento alheio: o sadismo na crise da democracia

Comentários de leitores

5 comentários

Comentários

Afonso de Souza (Outros)

Os exageros contra o 'politicamente correto' decorrem dos exageros do 'politicamente correto', não raro, ou quase sempre, por causa da instrumentalização política-ideológica das causas defendidas. Parece ser como no chamado "efeito mola".
O termo "nós e eles" é emblemático do sectarismo político no Brasil, que na verdade começou antes de tal termo ter sido proferido. Antes, mas de mesma fonte.
Politizaram tudo. Deu no que deu...

Lógica do Daseinquistão

Thiago Bandeira (Funcionário público)

Palavras machucam, calem esses bárbaros! Eles são um perigo para nossa democracia!

Eles acham que "Depois do auge da democracia como era da intersubjetividade, vem o seu declínio na era da dessubjetivação.". Auge da democracia?!? É piada isso? Mensalão é auge da democracia?

Textao

amigo de Voltaire (Advogado Autônomo - Civil)

Textao cheio de mimimi e de lagrimas do Vale dos Sinos !

Homogeneidade

O IDEÓLOGO (Outros)

Diz o texto: "Trata-se de uma rebelião contra tudo que contém a barbárie interior, como disse Lenio Streck, ecoando Jean-François Mattéi. Nessa linha denunciada por Streck, um emotivismo tosco desponta como grande critério para a resolução de desacordos na sociedade: fazer reivindicações normativas movidas apenas por sentimentos brutos, sem elaboração ou disciplina argumentativa, sem troca de razões ou constrangimentos externos; impor-se ao outro numa fala completamente irresponsável, mas capaz de produzir “verdades” no meio social, de gerar efeitos, atingir e obrigar.
Sinal dos tempos. Depois do auge da democracia como era da intersubjetividade, vem o seu declínio na era da dessubjetivação. Negar o outro. Negar o interlocutor. Proferir enunciados fetichistas para satisfação da própria vontade de infligir dor. Assim, o discurso articulado na esfera pública dá lugar a memes, que se propagam na medida de sua capacidade para veicular ofensas".

É o conflito intersubjetivo de funcionalidades linguísticas. O objetivo é "derribar" o outro, em sua essência. Negar o múltiplo. Defender a homogeneidade em todas as suas dimensões.

Ótimo texto!

Johannes de silentio (Estudante de Direito)

Parabéns aos articulistas. Schwartsman e Streck foram muito bem, e vocês foram no mesmo ritmo. Excelente.

Comentar

Comentários encerrados em 17/03/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.