Consultor Jurídico

Notícias

Novo elemento

Lula pede que acordo entre MPF e Petrobras seja juntado ao caso do sítio

Por 

A defesa do ex-presidente Lula entrou com um pedido na Justiça para que o novo acordo entre Petrobras e Ministério Público Federal seja juntado ao caso do imóvel de R$ 12,2 milhões que teria sido comprado pela Odebrecht para ser a sede do Instituto Lula. Segundo o petista, esse novo elemento tem ligação direta com a ação. 

O acordo citado é o que fez com que a Petrobras deixe de pagar uma multa bilionária para autoridades norte-americanas e repasse esse dinheiro pára um fundação que será montada sob a supervisão do MPF. Esse fundo terá direito a R$ 2,5 bilhões. 

Segundo a defesa de Lula, feita por Cristiano Zanin, do escritório Teixeira Martins Advogados, o acordo e todos os seus elementos têm direta vinculação com a posição jurídica assumida pela Petrobras a ação penal e também com o mérito da acusação. 

Na ação contra Lula, a Petrobras teve acolhido o pedido de ser assistente de acusação. a companhia alega ser vítima e ter sido lesada por Lula. O MPF pede que Lula seja obrigado a pagar multa de R$ 75 milhões para a companhia. 

"Neste momento, sobreleva destacar que a realização desse acordo e todos os seus elementos correlatos têm direta vinculação com a posição jurídica assumida pela Petrobras nesta ação penal e também com o mérito da pretensão acusatória", afirma a defesa de Lula.

A defesa de Lula pede que todos os detalhes do acordo entre Petrobras e MPF seja disponibilizados. 

Clique aqui para ler o pedido 

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 8 de março de 2019, 14h47

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 16/03/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.