Consultor Jurídico

Notícias

Mentiras premiadas

Caso no Paraná mostra inconveniência de blindar delações contra questionamentos

Comentários de leitores

4 comentários

O alçapão dos corruptos - ii

O IDEÓLOGO (Outros)

Brasil
Hitler planejava transformar “esse país mestiço e corrupto” num domínio alemão apoiado na colônia germânica do sul. O Brasil seria base para o Reich e ajudaria a deter a liderança americana. Mais preocupado com os comunistas, o governo Vargas fez vista grossa à ação de agentes alemães. Em 1942, quando o Brasil declarou guerra ao Eixo, a rede nazista depositou suas apostas na Argentina (https://super.abril.com.br/cultura/o-hermano-hitler/).

De acordo com a conveniência pessoal de cada um

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A discussão jurídica demonstrada na reportagem é mais um caso curioso, fruto da época tenebrosa que vivemos no Brasil quando o assunto é a aplicação da lei. Quando um cidadão comum honesto formula em juízo uma pretensão contra outro cidadão, ainda que esse seja notoriamente desonesto, precisa provar o que alega. No entanto, por distorções de diversas espécies, os agentes públicos estabeleceram que, no Brasil, e de acordo com a conveniência dos pŕoprios agentes, a palavra de cidadãos notoriamente desonestos é verdade absoluta, quando isso interessa aos próprios agentes. Veja-se o caso citado na reportagem. Cidadão portador de grave distúrbio psiquiátrico, em tese, foi flagrado na prática de crime grave, com suspeita de ter praticado várias centenas de condutas semelhantes. Se provadas essas acusações, será condenado à pena máxima pela Justiça, muito embora, e meu ver, o Acusado em questão seja muito mais necessitado de cuidados médicos do que pena propriamente. Mas, embora a palavra do cidadão em questão tenha pouco ou nenhum valor, já que ele com todas essas acusações e com a compulsão sexual que o acomete fará certamente qualquer coisa para escapar da pena e voltar à atividade delituosa, os agentes públicos deram a essa palavra um status de verdade absoluta, justamente porque era do interesse pessoal deles que essas alegações sejam verdadeiras. Em um país minimamente sério, as alegações do cidadão portador do referido distúrbio não teria valor nenhum. Sequer investigações seriam instaurada. Mas aqui, na época atual, enquanto Judiciário e Ministério Público se omitem de investigar e aplicar as penas em centenas de milhares de crimes de assassinato, estupro, latrocínio, etc., dão valor absoluta ao que nada vale.

Instituto marginal

José R (Advogado Autônomo)

A delação premiada serve a todos os inconfessáveis e repugnantes propósitos expostos no julgamento tratado nesta matéria.
Ferramenta processual marginal, usada por marginais com objetivos espúrio-utilitaristas, e que arrasta à marginalidade órgãos da persecução e da jurisdição penal (que podem ou não ter consciência disso). Ah, sim, e criou na advocacia o rico, milionário, contingente do “Esquadrão dos Delacionistas”, de nauseante co-protagonismo.
Em suma, uma preciosidade ética, a servir de paradigma às futuras gerações da “Sociedade da Delação”, em nome do combate ao crime, não é mesmo senhores Ministros (desta ou de qualquer outra República?)

O alçapão dos corruptos

O IDEÓLOGO (Outros)

O brasileiro é corrupto, extremamente sensível, defectível, incongruente e orgulhoso.
Logo, a prédica de Adolf Hitler: "Toda miséria pode tornar fecunda a energia humana e toda opressão pode suscitar as forças que produzem um renascimento moral, enquanto se conservou puro o sangue. Mas a perda da pureza do sangue destrói para sempre a felicidade interior, rebaixa o homem para sempre, tendo indeléveis consequências corporais e morais...É no sangue, exclusivamente, que reside a força ou a fraqueza do Homem. Os povos que não reconhecem e não apreciam a importância de seus fundamentos racistas assemelham-se a pessoas que quisessem conferir aos cães d´ água as qualidades dos galgos, sem compreender que a rapidez do galgo e a docilidade do cão d´água não são qualidades adquiridas pelo adestramento, mas inerentes à própria raça" (in "Mein Kampf).

Comentar

Comentários encerrados em 1/06/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.