Consultor Jurídico

Notícias

Denúncia Aceita

Guido Mantega vira réu por caso de fraudes no BNDES para favorecer JBS

Por 

O juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal de Brasília, aceitou nesta quinta-feira (23/5) denúncia contra o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega e o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Luciano Coutinho, no âmbito da operação bullish

Guido Mantega vira réu acusado de fraude bilionária no BNDES. 

Segundo a denúncia, os dois participaram de desvios no banco público que teriam resultado em benefícios indevidos de até R$ 8,1 bilhões em favor da JBS. As operações irregulares teriam ocorrido entre junho de 2007 e dezembro de 2009, de acordo com a acusação do Ministério Público Federal (MPF).

Outras três pessoas também se tornaram réus: Victor Garcia Sandri, Gonçalo Ivens Ferraz Da Cunha e Sá e Leonardo Vilardo Mantega. A denúncia, apresentada em março, tinha mais seis pessoas, incluindo o ex-ministro Antônio Palocci, mas o magistrado considerou que contra elas não havia indícios suficientes para justificar o recebimento da acusação.

Acusação
A acusação tem entre seus pontos de partida as delações premiadas de Joesley Batista. O magistrado, entretanto, não aceitou a parte da acusação contra o empresário, por entender que ele está protegido pelo "benefício legal do não oferecimento de denúncia". 

Clique aqui para ler a decisão. 
1006459-54.2019.4.01.3400

 é correspondente da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 24 de maio de 2019, 18h34

Comentários de leitores

1 comentário

Guido mantega

O IDEÓLOGO (Outros)

Guido Mantega(Gênova, 7 de abril de 1949) é um economista brasileiro nascido na Itália. Foi ministro da Fazenda e ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão do Governo Lula. Foi o ministro da Fazenda no primeiro Governo Dilma Rousseff, sucedido no cargo pelo ex-secretário do tesouro, Joaquim Levy.
Em 22 de setembro de 2016, foi preso na 34ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Arquivo X, tendo sido solto no mesmo dia. Na mesma decisão que o prendeu, a Justiça Federal bloqueou 10 milhões de reais em ativos e em contas de investimentos bancários. Esta decisão foi mantida, após a revogação da prisão" (Fonte Wikipédia).

Esse italiano está prestes a servir de companhia ao seu chefe, Luís Inácio Lula da Silva.

Comentários encerrados em 01/06/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.