Consultor Jurídico

Notícias

Derrota do governo

Câmara aprova MP que tira Coaf do Ministério da Justiça e reestrutura ministérios

Por 

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (22/5), a Medida Provisória 870. O texto retira o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça e o devolve para o da Economia.

Além disso, a medida ainda delimita que auditores da Receita Federal não têm autorização para investigar crime que não seja de ordem fiscal.

Os deputados também rejeitaram a recriação do Ministério da Cultura e Ministério do Trabalho e mantiveram a fusão dos antigos ministérios da Integração Nacional e das Cidades no Ministério do Desenvolvimento Regional. 

Pela medida, o Ministério da Justiça volta a ficar responsável pela Fundação Nacional do Índio (Funai), que estava no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, e pela demarcação de terras indígenas, que no governo de Jair Bolsonaro (PSL) passou a ser responsabilidade do Ministério da Agricultura.

A chamada MP da reforma administrativa segue agora para análise do Senado, que tem até o dia 3 de junho para votar e aprovar o projeto, por maioria simples, sob risco de ele perder a validade. 

 é correspondente da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 22 de maio de 2019, 21h16

Comentários de leitores

2 comentários

Abuso da Receita

aduaneiro (Auditor Fiscal)

Então para a Conjur, o auditor-fiscal representar por crimes ao MPF é abuso de autoridade. Ta Serto...

Quem não deve não teme!

elimarco (Administrador)

Partindo-se do princípio verdadeiro de "quem não deve não teme" só podemos deduzir que os deputados que votaram para a mudança da COAF para o Ministério da Economia, são aqueles que temem a maior eficiência da COAF.
Sugiro que anotemos seus nomes e guardemos junto ao Título de Eleitor para não os esquecermos na hora de darmos o nosso voto em alguém pressupostamente digno de recebê-lo.

Comentários encerrados em 30/05/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.