Consultor Jurídico

Comentários de leitores

23 comentários

Defesa de interesses espúrios

Schneider L. (Servidor)

"Podemos ter críticas e divergências quando são instaurados inquéritos sigilosos, de escopo amplo, que violam princípios constitucionais do juiz natural, da separação de poderes, do devido processo legal, da competência, da vedação de um Tribunal de exceção"

São algumas das ponderações que seriam feitas caso os paladinos da justiça e da hermenêutica realmente se importassem com o bem-estar da Corte e do respeito à Constituição.

Mas metade das reclamações só enaltece o desprezo com a segurança jurídica, sobretudo, no que concerne a execução antecipada da pena.

Cai a máscara dos pseudo-garantistas, dos falsos moralistas. Eles só querem continuar a frequentar banquetes palacianos regados à vinhos importados e premiados, whiskys envelhecidos, lagostas e camarões.

E o fã clube Streckiano, como sempre, baba ovo e aplaude. Sem perceber que pertencem à plebe desamparada.

"Somos atrasados, porque esse atraso é muito bem defendido".

Fusão de interesses

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Estranho esse convescote entre a "Intelligentsia jurídica" para apoiar um órgão no qual os participantes possuem profícuos interesses.
E o povo? Foi convidado algum líder de comunidade? Algum representante de presidiários? Alguns dos grupos defendidos pela falecida Marielle Franco?
A resposta dos apoiadores à ausência do povo é dado por G. W. Friedrich Hegel (1770-1831): “Povo é a parte da nação que não sabe o que quer.”
Bingo!!!

Bonitas referências!

John Paul Stevens (Advogado Autônomo)

E um "plus a mais", como diz o outro: quem pegou a das canetas Bic e Mont Blanc?

Boa!

Comentar

Comentários encerrados em 17/05/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.