Consultor Jurídico

Notícias

Conversa rotineira

Grupo de juízes federais defende "diálogos interinstitucionais" de Sergio Moro

Comentários de leitores

15 comentários

O Óbvio Ululante

acsgomes (Outros)

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/06/moro-nao-fez-nada-de-errado-e-stf-tem-sido-o-violador-da-etica-diz-juiz-da-satiagraha.shtml

Sergio Moro não fez nada de errado como juiz ao trocar mensagens com Deltan Dallagnol e isso não compromete em nada as sentenças da Lava Jato, afirmou Fausto de Sanctis em entrevista à Folha.
“Conversas [entre juiz e procurador] podem existir desde que não haja desrespeito de parte a parte”, disse o juiz federal, que também vê como legalmente nulas as mensagens vazadas.

“A prova é absolutamente nula e [nem] sequer pode ser produzida uma perícia para confirmar a sua veracidade. Um ambiente assim é imprestável para a Justiça. O invasor pode manipular a informação. É diferente do caso do WikiLeaks, em que houve obtenção de documentação que era sigilosa, mas era oficial.”

De Sanctis afirmou ainda que não vê “viés político” nas decisões de Moro e criticou o STF. “O Supremo tem sido reconhecido como o primeiro violador da ética judicial. Não se reconhece em muitos ministros a figura de um magistrado, mas de um político.”

Antes de se tornar juiz do TRF-3, em 2010, De Sanctis julgou as operações Satiagraha e Castelo de Areia, da PF, que acabaram desfiguradas pelo Supremo.

stf deve dar o exemplo

Patricia Ribeiro Imóveis (Corretor de Imóveis)

enquanto o PGR permanecer no tablado, junto com os juízes, jamais se cogitará de, com seriedade, tratar as partes com equidistância e igualdade.

Não entendo porque o PGR não vai à tribuna como seus adversários o fazem!

Boa... Agora contem outra

olhovivo (Outros)

\"diálogos interinstitucionais"? Muito boa essa agora contem aquela do papagaio.

Escracho

Renato O. Furtado (Advogado Autônomo - Criminal)

Perplexo, leio que " Juízes " pelo Brasil afora estão a legitimar o derretimento do CPP, do Princípio da Paridade de Armas, da Imparcialidade ! Enojado, vejo que neste vale-tudo, tudo vale menos o Direito de Defesa e o Devido Processo Legal. Aos advogados, de acordo com os " doutos ", cabe , apenas, cumprir tabela.... A que ponto chegamos !

Muita calma nessa hora

salwensko (Servidor)

Sergio Moro aconselhou uma das partes no processo contra Lula. Passou orientações que foram acatadas. Isso é crime. como juízes podem se posicionar defendendo essa prática? Não foram apenas conversas. Houve aconselhamento. A-C-O-N-S-E-L-H-A-M-E-N-T-O. Vedado ao juiz aconselhar qualquer das partes. Fico preocupado quando juízes defendem esse tipo de conduta. É corporativismo que chama?

conluio

Rolando Caio Brasil (Estudante de Direito)

Então é comum o conluio entre às excelências, de modo a ignorar e fazer letra morta das disposições legais e constitucionais, em especial o que determina o CPP (art. 254) e a CF (art. 5º, LIV e LV) ?? Se é assim, o judiciário brasileiro chegou a esse ponto, isso deve causar perplexidade lá fora e ser mesmo objeto de estudo de organismos internacionais.

Onde atual o juízes signatários

Mário Sérgio Ferreira (Procurador Autárquico)

Diversamente do que constou na matéria anterior, os trinta juízes que subscreveram o documento apontaram suas origens. Esses juízes que assinam o documento em favor de Sérgio Mora covardemente omitem suas origens. Por quê?

Ofensa ao estado constitucional

Adir Campos (Advogado Autônomo - Administrativa)

1. Em nenhum lugar do mundo, e tampouco no Brasil, é permitido ao juiz ferir a imparcialidade e o dever de transparência ao indicar secretamente testemunhas ao órgão acusador na calada da noite, fora do processo e à revelia da defesa; sugerir a troca de representante do MP mais eficiente para audiência; pedir ao MP para poupar potenciais réus da Lava-jato por serem amigos do juiz, como foi o caso do ex-presidente FHC; cobrar o MP de fazer mais operações policiais; entre outras tantas.
2. Nós advogados devemos ter clareza que por pior que seja o crime ou o seu autor, nada justifica desdenhar da imparcialidade, transparência e honestidade do juiz com sua função.
3. Sem dúvida, estamos diante de grave precedente contra garantias fundamentais da liberdade, garantias que são o próprio fundamento do Estado moderno erguido justamente contra a tirania medieval.
4. Essa escrachada e indefensável barbaridade contra o Estado Constitucional macula TODO o Poder Judiciário, e não apenas a pessoas dos envolvidos. Think about!

Tá explicado

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Agora se sabe porque um juiz, quando está em litígio contra um cidadão comum ou contra algum advogado, sempre ganha: eles combinam entre eles as decisões em conversas via aplicativos, sem que ninguém saiba.

A Democracia necessita voltar aos trilhos

LAFP (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

A única forma de resolver estes impasses entre Estado Juiz e Estado acusação é a a Nova Lei de Abuso de Autoridade. Só ela imporá limites, caso contrário, o modismo irá continuar. Ainda: advogo há 31 anos na área criminal, nunca fui orientado por nenhum juiz. A grande maioria preferem se relacionar entre os órgãos do Estado (Judiciário e Acusação). Com a palavra o Senado Federal e a Câmara dos Deputados para colocar um basta nisto tudo.

9 x 1

Márcio Felipe (Advogado Assalariado - Civil)

Para cada vergonha da primeira lista, 9 motivos de orgulho na segunda.

Pode sim

Professor Edson (Professor)

O juiz pode dialogar com a acusação com a defesa e até com o acusado, afinal de contas existem a audiência de Custódia, o que juiz não pode fazer é condenar sem provas, isso jamais. E não vamos esquecer que o ministro Gilmar Mendes conversa rotineiramente com a defesa de presos da lava jato, também manda mensagens por aplicativos para acusados de corrupção, temos matérias ótimas sobre isso no Estadão.

Um absurdo que magistrados defendam esse tipo de relação

KbgKleberson (Professor)

Não posso esconder minha indignação frente a um número significativo de magistrados que defendam essa prática. Não estou aqui posicionando favoravelmente aos eventos que convergem para a impunidade, porém, não podemos negar que as práticas evidenciadas nos diálogos divulgados (se verdadeiros forem) são nefastas para um sistema democrático e vão contra os procedimentos de um sistema acusatório. Por favor, se exitem essas práticas e, se elas são rotineiras, está mais do que na hora de acabar.

Paridade de Armas

Iracildo (Advogado Assalariado - Previdenciária)

Das instituições, que queiram manter diálogos institucionais, se exige ética e moralidade. Aliás, sempre se exige. Quando duas instituições, quebrando a isonomia (de ferramentas processuais), surpreendem o cidadão, seja ele quem for, com diálogos que envolvem apenas duas das partes processuais (que são pelo menos três), vai-se a paridade de armas.
A preocupação revelada nos diálogos entre Moro e MPF equivale à preocupação insana (por excessiva) do fanático torcedor de um clube de futebol: tem lado e manifesta patológica vontade de desequilibrar a balança da Justiça.
Mas quantos estão preocupados, de verdade, com ela?

Sem problemas

olhovivo (Outros)

Sem problemas, desde que se dialogue com a Defesa também... indicando testemunhas, por exemplo, e outras coisitas mas, hehe...

Comentar

Comentários encerrados em 4/07/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.