Consultor Jurídico

Entrevistas

Mente aberta

"Juiz preocupado apenas com leis e jurisprudência não tem formação completa"

Comentários de leitores

4 comentários

Inteligência Artificial, já passou da hora!

José Speridião Junior (Engenheiro)

Em leitura rápida há verdades gritantes na entrevista pois é frustrante e desmotivador ao indivíduo inteligente e diligente que muito estudou para passar no concurso (excluem-se alguns dos que são indicações políticas) , serem meros repetidores de sentenças.
Tais dotados indivíduos elevados ao nível de quase semideuses pois investidos de função de decidir o destino de semelhantes, e talvez até à morte consideradas as condições carcerárias de alguns presídios veiculados pela imprensa, não deveriam ser sub utilizados para isto, ou seja, conferir cumprimentos legais escritos e aprovados pelo Congresso Nacional e até mesmo na roda do infortúnio da falha na não observação de jusrisprudências em que haja verossimilhança. Tais elevadas competências deveriam se dedicar à análise diante dos aspectos que a lei não alcança deixando o trabalho "braçal" aos computadores que com certeza raramente falham naquilo que é taxativo. Assim a sentença pré estabelecida pela máquina passaria pelo crivo do Magistrado que justificaria a sua decisão pontualmente naquilo que discordasse com a máquina, sua auxiliar e somaria suas razões.
Com toda certeza haveriam muito menos embargos e recursos para 2º, 3º e 4º graus já que não é dada ao magistrado a prerrogativa de opor-se à lei e nem escusa por não lhe ter ocorrido observá-la.
Naquilo que a lei não abrange haveriam ainda como último bastão a interpretação subjetiva do elevado ser ou ainda o mandado de injunção.
A redução de custos seria fantástica ! Adeus aos que entram em juízo em aventuras como se fosse um cassino esperando algum azar processual da outra parte ou ainda por exaurimento de seus recursos financeiros.
Que não se dê ao direito a conotação de mistério e pura subjetividade pois tem sua lógica,erramos no básico

Isso, aliás, já deveria vir sendo observado desde 1942!

David Fares (Advogado Autônomo - Civil)

“O magistrado, no cumprimento de sua dificílima tarefa de julgar, tem necessidade imprescindível de compreender a vida social em toda a sua extensão e complexidade. Não pode ser mero leguleio. Deve ser sociólogo e realista. Dele se exigem vastos conhecimentos das ciências auxiliares do direito. Precisa conhecer a biologia e a antropologia, a lógica política e a política social, a psicologia experimental e a política
judiciária, a psicologia racional e a sociologia aplicada, a filosofia e história e a filosofia da civilização.” (Ac. un. da 3.ª Câmara Cível do Tribunal de Apelação do Estado do Rio de Janeiro, proferido em 17-09- 1942).

Mas juiz não se preocupa com com leis e jurisprudência

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

Antes de se preocuparem com outros temas, magistrados, por obrigação legal (LOMAN, art. 35, inciso I), devem aprender a cumprirem leis, e observarem jurisprudência e doutrina, o que, diariamente, não fazem.

Avise aos juristas

O IDEÓLOGO (Outros)

Formação interdisciplinar não só é necessária, como imprescindível aos juízes. Mas, devem avisar aos juristas, porque um um juiz com tal formação vai além da lei, e se torna um pamprincipiologista (termo cunhado pelo jurista Lenio Streck).

Comentar

Comentários encerrados em 1/07/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.