Consultor Jurídico

Notícias

Em busca da fonte

PGR manda PF investigar "ataques cibernéticos" a celulares de procuradores

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou nesta quarta-feira (12/6) dois ofícios ao diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Leite Valeixo, solicitando investigação de ataques hacker contra membros do Ministério Público Federal. 

Polícia Federal deve investigar ataques cibernéticos a membros do MPF
U.Dettmar

No documento, a PGR afirma que considera necessário adotar uma linha de investigação que possa esclarecer, "além do modo de atuação criminoso, os motivos e eventuais contratantes de um ataque cibernético sistemático contra membros do MPF, principalmente aqueles que atuam na operação 'lava jato' do Rio de Janeiro e de Curitiba". 

Em um segundo ofício, Raquel Dodge solicita à PF a instauração de inquérito policial para apurar uma possível invasão ao celular do conselheiro Marcelo Weitzel, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

No intuito de dar celeridade às investigações, a procuradora-geral da República encaminhou à Polícia Federal cópias de documentos para subsidiar a apuração desses crimes. Ela também solicitou ao diretor-geral informações sobre o atual estágio das investigações relativas à invasão das contas dos membros no aplicativo Telegram.

Em maio, a tentativa de invasão aos celulares institucionais dos membros do MPF foi comunicada à PGR pelos membros que atuam no Paraná e no Rio de Janeiro. Com informações da Assessoria de Imprensa do MPF.

Revista Consultor Jurídico, 12 de junho de 2019, 18h45

Comentários de leitores

5 comentários

Prevaricação

JCCM (Delegado de Polícia Estadual)

Senhora procuradora geral, o que é preciso é apurar as tramoias elaboradas pelos seus subordinados que agiram ao arrepio da lei.
Tome alguma providência, por favor.

Seletivo é o Juiz / Ministro

Mário Mendonça (Bancário)

Prezado J. Ribeiro

Bom dia

Seletivo foi o Juiz / Ministro de piso, que, em conluio com a globo grampeou a presidência da republica e ainda divulgou o áudio sem autorização superior. Que punição haveria se tal procedimento ocorresse em países democráticos da Europa e até USA? Publicitar o combate a corrupção seletivamente é a maior vergonha de nosso país. Lembre-se, ele foi o titular do caso Banestado, aquele sim, o maior escândalo de corrupção da republica (134 BI de Dolars - quase Meio Trilhão de Reais enviados para o exterior via contas CC-5), porém, como envolvia a nata do corrupto empresariado brasileiro, que banca e coopta a política, foi devidamente abafado. O Brasil não é pra amadores. Abração

Forma de terrorismo

Sidnei Santos (Advogado Autônomo)

Interessante ponto de vista, se não vivêssemos em um Estado Democrático de Direito, em que os fins não devem e não podem justificar os meios e não pode existir a "vingança privada".
Por outro lado, os "representantes" do Estado podem tudo, até cometer crimes, para elucidar outro?
Cuidado com a defesa...

Ver todos comentáriosComentar