Consultor Jurídico

Combate à desinformação

Supremo e CNJ instalam Painel Multissetorial de Checagem de Informações

Será instalado nesta terça-feira (11/6), às 10h30, no Supremo Tribunal Federal, o Painel Multissetorial de Checagem de Informações e Combate a Notícias Falsas em parceria com veículos de comunicação, a OAB e entidades de classe de magistrados.

As notícias serão checadas pelos jornalistas dos sites Aos Fatos, Boatos.Org, ConJur, Jota, Migalhas e UOL-Confere. Outros portais, como o Jusbrasil e Jus Navigandi participarão da veiculação das checagens.

Uma das iniciativas do Painel é unir-se à campanha #FakeNewsNão, capitaneada pelo Conselho Nacional de Justiça, em parceria com tribunais superiores e entidades representativas da magistratura. Lançada em 1º de abril, a campanha propõe o compartilhamento de posts, vídeos, textos, artes que esclareçam os danos provocados por dados falsos e ensinem a população a identificar publicações suspeitas, impedindo a circulação de notícias falsas.

Outra linha de trabalho do Painel é a checagem de informações que sejam consideradas falsas. Nesse sentido, os parceiros farão a conferência de dados envolvendo temas relacionados ao Poder Judiciário. Essa ação é necessária tendo em vista que a Justiça brasileira lida diariamente com temas sensíveis e que podem afetar a vida dos cidadãos se o teor de suas decisões for distorcido.

Em um primeiro momento, a checagem será feita sobre posts e notícias a respeitos de atos do STJ e do STF. A intenção é estimular a adesão cada vez maior ao Painel de entidades, instituições e veículos de comunicação de modo a estender a verificação a outros Tribunais e instituições.

Os demais parceiros participarão da campanha #FakeNewsNão, publicando material acerca dos prejuízos causados por notícias falsas e desinformação, orientando como identificar e combater fake news. Entidades como FGV, OAB, ANJ, Abratel e Abert, além de observadoras e consultoras do Painel, atuarão na conscientização dos males causados por notícias falsas.

Seleção do material
STF, STJ, CNJ, CJF auxiliarão os parceiros na identificação e envio de material suspeito para checagem. Os integrantes do Painel também terão autonomia para buscar informações e checar por conta própria.

Por meio de aplicativo de mensagens, cada parceiro decidirá qual notícia/conteúdo/post irá checar, de acordo com a linha editorial e critérios próprios de classificação do conteúdo verificado.

Publicação
Todos os parceiros e entidades têm liberdade para publicar ou não em seus sites e redes sociais o material checado por outro membro do Painel.

O portal do CNJ disporá de página específica contendo informações sobre objetivos, motivações, parceiros, links e todos os conteúdos que forem analisados.

Assista ao evento de lançamento pelo canal da TV Justiça no YouTube.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 11 de junho de 2019, 7h17

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/06/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.