Consultor Jurídico

Entrevistas

Processo Eletrônico

"Seria um ganho enorme para todos se o e-Proc e o PJe pudessem trabalhar juntos"

Comentários de leitores

8 comentários

....

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Caro "ID".
Não preciso das suas indicações. Minha biblioteca é bem composta.
Aliás, se houver interesse de sua parte, posso indicar outras obras sobre Direito Sancionador, Direito Disciplinar...

Responder

Sistema do TJRJ

Igor Almeida (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

O PJE é ruim. O sistema do TJRJ é inominável. Quem dera tudo um dia virasse e-Proc.

Responder

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Doutor Eduardo, boa noite.
Sua Excelência leu os dois livros que lhe indiquei há, aproximadamente quatro meses?
Estou preocupado com V. Exa. . Quero ajudá-lo a ampliar a vossa cultura.
Tenho certeza que no curso de graduação em Direito sua Excelência não foi escravo de Kant, M. Heidegger, Hegel, Marx, Plotino, Aristóteles, Santo Tomás de Aquino, Sartre, Niklas Luhmann, Anthony Giddens, Marcelo Neves, Adorno e outros pensadores.
O advogado já pensou em ler as obras de Olavo de Carvalho? Pretende ser escravo do "Ideólogo"?

Responder

Pj-e é muito ruim...

Eliel Karkles (Advogado Autônomo - Civil)

Somente quem não trabalhou com outro sistema pode gostar do PJ-e. Ele é muito RUIM, PÉSSIMO na verdade, coisa de amadores. Não é intuitivo e nem um pouco fácil de usar, o PJ-e tem erros grosseiros de operação e funcionamento. Uma lástima. Só quem não conhece algo melhor bate palma. Já o E-PROC conquista no primeiro momento, fácil, intuitivo, funcional,... muito bom.

Responder

Opção sempre pelo pior!

Moura.advocacia (Advogado Assalariado - Trabalhista)

Se fizessem uma breve pesquisa de satisfação entre os usuários dos sistemas eletrônicos da justiça, se constataria facilmente que o melhor sistema é o PROJUDI, mas não ,consigo entender e ninguém explica o porque da insistência com o PJE, que inclusive no meio já foi apelidado de "pjenferno" acredito que nem preciso explicar os motivos desse apelido!
Importa ainda dizer, que eramos felizes com o E-SAJ, e não sabíamos! Infelizmente a percepção que temos é que quem controla isso, não esta nem ai para a Advocacia!
Outro dia, não sei se é verdade, vi um despacho de um Juiz se queixando justamente da inoperabilidade do PJE!
Oremos para que alguém acorde no país das maravilhas e veja o que esta de fato acontecendo no mundo real!

Responder

Blábláblá do ID.

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Reclama do estado federal, fala besteira sobre a Carta Magna (lógico, depois vai buscar no google a origem do termo e comprrender a tradição da nomenclatura), desdenha do motivo de advogados usarem terno e gravata...
Enfim, disse o presidente do TJ a respeito da carreira de Escrevente: é muito bem paga; não exige nível superior.
Escrevente ID: em outra matéria li o seu comentário sobre ter sido implicado em sindicância ou PAD.
Elementar... Certamente por iniciativa interna (**).
Bom: que tal se estivesse submetido à Lei do RJU federal? Acabaria com a sua tal licença-prêmio... Prefere um RJU ou ficar com a lei do seu estado?
E a CLT? É nacional, a mesma para União e Estado de São Paulo ou Munícipio.
(**) Desrespeita advogado porque ainda não foi adequadamente levado à Corregedoria do TJ por ato de um(a) advogado(a).

Responder

Não importa

FAB OLIVER (Consultor)

Não importa minha opinião, sua, a nossa. É algo que afeta a vida de trocentas pessoas. Mas a opinião delas (algo chamado consideração, cooperacao) não tá valendo.

PJE é ridículo. Nenhum advogado, promotor, defensor, procurador...Nenhum dos peticionando quer isso.

SP _ recuperação judicial da pdg _ esaj _ maior processo do Brasil _ 300 mil páginas _ vai bem. Se tjsp tá com esaj, é pq o esaj é o melhor.

Responder

Tribunal

O IDEÓLOGO (Cartorário)

é uma ilha, com procedimentos próprios, pensamentos próprios e gestão própria.
O Brasil adotou a Federação, que é a união de Estados autônomos sob égide da Constituição. Mas, parece que a Lei Magna (para utilizar uma expressão pomposa desses engravatados, alguns com especializações, mestrados, doutorados e pós-doutorados que, a nível coletivo não servem para nada, porque o Brasil continua, com eles, descendo a ladeira) é apenas um diploma que deveria estar, nas livrarias, no setor de obras de ficção, não é aplicada. Está, parecendo mais uma Confederação, que é a união de estados soberanos mediante tratados. E aqui, no Brasil, cada Estado, cada órgão, cada instituição "faz o que der na telha".
E o fato da Federação Brasileira parecer uma Confederação, originou a "guerra fiscal".
Joaquim Levy, um dos poucos economistas competentes no Brasil disse: "a guerra fiscal apresenta ganhos ilusórios para os estados menos desenvolvidos: “Quando o objetivo é tirar uma empresa [já] existente de um estado para outro, a guerra fiscal é poderosa, porque o estado onde essa empresa está não pode, muitas vezes, replicar o benefício fiscal para todas as outras empresas que estão ali, seria muito caro. Mas, para atrair novos [empreendimentos], tem havido indicações de que a guerra fiscal, às vezes, é menos eficiente, porque o estado [economicamente] maior tem mais capacidade de exercitar isso” https://www12.senado.leg.br/emdiscussao/edicoes/pacto-federativo/guerra-fiscal-e-reforma-do-icms

Responder



Comentar

Comentários encerrados em 5/08/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.