Consultor Jurídico

Notícias

Trechos de diálogo

Fonte de Glenn Greenwald nega ter hackeado celular de Moro

O jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, divulgou trechos da conversa que teve com a fonte que lhe entregou as mensagens entre autoridades da "lava jato" mantidas no aplicativo Telegram. À revista Veja, o jornalista mostra que sua fonte negou, no dia 5 de junho, ter invadido o celular do ministro da Justiça, Sergio Moro. 

Lia de Paula/Agência SenadoJornalista afirma que sua fonte não pagou pelos dados e não te pediu dinheiro em troca do acesso ao conteúdo. 

A divulgação acontece depois da Polícia Federal tentar ligar suspeitos presos na última terça-feira (23/7) ao vazamento de mensagens de Moro pelo Intercept.

De acordo com a conversa divulgada, Greenwald pergunta à fonte se leu reportagem do jornal Folha de S. Paulo sobre a invasão do celular do ministro. A fonte então responde que viu a notícia e garante que não era responsável pelo ataque.

"Nunca trocamos mensagens, só puxamos. Se fizéssemos isso ia ficar muito na cara. Nós não somos ‘hackers newbies’ [amadores], a notícia não condiz com nosso modo de operar, nós acessamos telegrama com a finalidade de extrair conversas e fazer justiça, trazendo a verdade para o povo", diz.

Greenwald afirma que a fonte não pagou pelos dados e não pediu dinheiro em troca do acesso ao conteúdo. Além disso, segundo o jornalista, seu primeiro contato com a fonte aconteceu em maio, um mês antes de Moro denunciar a invasão de seu celular. 

Revista Consultor Jurídico, 26 de julho de 2019, 18h20

Comentários de leitores

1 comentário

Divergência de informações

AC-RJ (Advogado Autônomo)

A informação do Conjur está divergindo do depoimento do hacker. Fonte: https://www.oantagonista.com/brasil/a-integra-do-depoimento-de-walter-delgatti-neto/

Comentários encerrados em 03/08/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.