Consultor Jurídico

Comentários de leitores

9 comentários

Ilegalidade ou Imoralidade

MAURO VINICIUS (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

Se depreende das manifestações do Procurador do MPF, Deltan Dal Agnol, o quanto suas explicações são atentatórias ao princípio da moralidade. Se analisarmos sua linha argumentativa, iremos concluir que os argumentos elencados são muito semelhantes aos utilizados pelo ex- presidente Lula, por conta de suas palestras remuneradas.
a imoralidade, para não adentrarmos no terreno da criminalidade, dos atos praticados é cristalina. E assim, cabe a indagação da razão pela qual esse Procurador não foi afastado de suas funções??? O que justifica a continuidade de um trabalho eivado de vícios. Como aceitar postura de agentes públicos que tem por função institucional a de combater a corrupção e se valem de tais artifícios para locupletamento. O que assusta é que o Procurador não será sequer denunciado e, isso, unicamente por que quem tem esse poder são seus pares. Isso terá que ter um fim. Onde se encontra a Procuradora Geral que não tomou nenhuma atitude quanto a esse escárnio promovido em seus quadros.

Remuneração fora da Magistratura e do Ministério Público

Célio Parisi (Advogado Assalariado - Criminal)

Célio Parisi - Advogado
A Constituição Federal impede que o juiz e o promotor, ou procurador, obtenha remuneração por serviço prestado fora da sua função pública, exceto e exclusivamente no exercício da função de professor.
Nessa toada, reputo juridicamente complicado a um Procurador da República, para não dizer que está impedido, proferir palestras remuneradas em empresas ou em qualquer outro lugar, porquanto aquilo que é pago para ser formulado em termos de orientação, traz alguns embaraços no exercício da função!
Seria ideal, no mínimo, que houvesse recomendação do CNMP para que assim não agissem, uma vez que se a palestra por ele proferida, se não remunerada, não o tornaria suspeito para continuar nos processos!
Entendo que a ausência dele na atuação, houve prejuízo à sociedade, o que não poderia ter ocorrido.
À reflexão.

Vai chegar

O IDEÓLOGO (Cartorário)

a uns trinta e três milhões. Não duvido.

Errata

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

Errata: o correto é procurador geral de justiça do MP/MG

olhovivo (Outros)

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

olhovivo (Outros)

As Corregedorias e nada são iguais. O que ainda salva APENAS UM POUCO, é o CNJ, na esfera do Judiciário. O CNMP tem atuação pífia. Já enviei anos atrás uma representação contra um procurador geral de justiça do TJMG, narrando fatos gravíssimos e todos comprovados e o CNMP arquivou.

A qui no TJSP a Corregedoria não é diferente. Para vc ter ideia (fiquei sabendo pela Lei de acesso a informações SIC), de 10 mil (estou aumentando o número para vc ter uma ideia melhor) reclamações/representações 9.800 são literalmente arquivadas, ou seja, a Corregedoria dá prosseguimento em apenas 2% das denúncias.

Juiz só não pode matar, praticar peculato e vender sentença, o resto pode fazer tuuuuuuuuuuuuuuudo.

Brasil: ame-o ou deixe !!!

Barros, advogado (Advogado Assalariado - Civil)

O governo federal quer se vingar do jornalista Glenn Greenwal do jornal The Intercept com sua deportação.
Parece que o governo quer prejudicar o jornalista, pois tal portaria se vingar pode ter os motivos para deportação do jornalista.
É aquela velha estória do tirano que: "quando não se agrada da notícia, pune o carteiro".
O Gov. não vê que o jornalista tem liberdade de publicar os fatos, mesmo que a fonte não tenha conseguido licitamente.
Caminhamos para a DITADURA, as instituições estão deixando o gov. federal cometer muitas "barbeiragens". Até quando?
Tá na hora do congresso nacional de STF chamar o executivo as falas!

E daí???

Professor Edson (Professor)

Não existe nem um ilícito nisso, absolutamente nenhum.

"$antos e pecadores"???

Daniela A. Correia (Advogado Autônomo - Criminal)

Cortando dos dois lados, assim não....fica feio depois!!!

\"vamos lucrar, ok?\"

olhovivo (Outros)

Pelo menos uma das conversas da Vaza Jato está confirmada pelos fatos incontestáveis: "VAMOS LUCRAR, OK?".
Agora não é necessário aos órgãos de controle do mpf se basearem em provas ilícitas da Vaza Jato para ir pra cima (como o fazem com quem não pertence à corporação) para inciar PA, PIC e o diabo a quatro para iniciar uma "rigorosa" apuração e exemplar punição. Sim, eu acredito em duendes.

Comentar

Comentários encerrados em 3/08/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.