Consultor Jurídico

Entrevistas

Tolerância à violência

Questões culturais barram efetividade completa da Lei Maria da Penha

Por 

O Brasil caminha a passos lentos na prevenção à violência contra mulher e ao feminicídio. E isso é cultural, pois o jargão "em briga de marido e mulher não se mete a colher" ainda é considerado pelo poder público. A análise é da advogada Alice Bianchini, doutora em Direito Penal e conselheira federal da OAB-SP.

De acordo com a advogada, o alto nível de tolerância à violência contra a mulher é um dos fatores que impedem a efetividade completa da Lei Maria da Penha.

"Ao avaliar a jurisprudência, podemos observar casos em que não havia nenhuma dúvida de que era feminicídio, mas não havia essa classificação. Agora é que estamos criando essa maturidade”, explica.

Durante entrevista ao programa Jusbrasil Entrevista, parceria da ConJur com o site Jusbrasil, Alice relembra o início de sua carreira, fala de suas linhas de pesquisa e explica a diferença de tratamento para homens e mulheres no Direito. 

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 24 de julho de 2019, 17h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 01/08/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.