Consultor Jurídico

Notícias

por atraso em contratos

Toffoli suspende execução de contragarantias do Amapá pela União

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, suspendeu a exigência de contragarantias pela União em três contratos do estado do Amapá com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Caixa Econômica Federal (CEF), no valor total de R$ 2,8 bilhões.

Toffoli suspende execução de contragarantias do Amapá pela União.
Nelson Jr./SCO/STF

"Para fins de permitir a apreciação oportuna do pedido liminar, concedo medida cautelar de suspensão da exigibilidade pela União da contragarantia, até nova apreciação do tema, quando da devida instrução dos autos", diz. 

O ministro Toffoli solicitou também que o Amapá se manifeste em cinco dias sobre as considerações da União, especialmente sobre seu comprometimento com o programa de ajuste de contas do regime de recuperação fiscal vigente. O estado deve também apontar se é viável a apresentação de proposta de quitação ou diminuição do débito até a definição do PLC 149/2019, visando à conciliação dos interesses envolvidos.

Ação
Na ação, o Amapá argumenta que, em razão da crise financeira que atravessa, não será possível honrar as parcelas dos contratos que estão por vencer, o que resultará na execução imediata das contragarantias pactuadas com a União e no bloqueio de transferências constitucionais e arrecadação tributária. 

A execução, segundo o estado, comprometerá gravemente a continuidade de políticas públicas essenciais e inviabilizará, entre outros itens, o pagamento dos salários, já atrasados, de médicos e enfermeiros, o custeio de medicamentos, o transporte de alunos, a merenda escolar e o fornecimento de alimentação nos estabelecimentos prisionais, causando risco de rebelião. Com informações da assessoria de imprensa do STF.

ACO 3.285

Revista Consultor Jurídico, 21 de julho de 2019, 14h21

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 29/07/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.