Consultor Jurídico

Notícias

Entidade essencial

Juiz do Rio tranca inquérito que acusa OAB de ser organização criminosa

Comentários de leitores

5 comentários

Reciclagem já!

Paulo Moreira (Advogado Autônomo - Civil)

Quem portava o documento falso era a cliente, e não as advogadas. Logo, qualquer retardado conseguiria ver que as causídicas ''nada tinham a ver com o peixe''.
Faz-se mister, então, mandar esse delegado de volta à "escolinha" para ser reeducado. E se ele não aprender, tem que tirar por uns dias a regra pedagógica e "sentar uma palmada no bumbum dele" para ver se assim ele entende.

Errata

Eduscorio (Consultor)

O sobrenome correto do Juiz da 41ª V.Criminal é "JANGUTTA". Todos se confundiram com o raríssimo sobrenome.

Apologia ao crime

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

O comentário do O IDEÓLOGO (Outros), lamentavelmente, tenta glorificar a prática de um crime, bem como seu autor. Embora a CONJUR imponha uma "política de comentários", o veículo não tem realizado adequadamente seu trabalho de filtrar os comentários inadequados ao debate honesto.

Coragem

O IDEÓLOGO (Outros)

Diz o texto: "O criminalista Fernando Augusto Fernandes, procurador de Prerrogativas nomeado para o caso pelo presidente do Conselho Federal da OAB, Felipe Santa Cruz, elogiou a decisão.
“A decisão do juiz Paulo Jagunta engrandece o Judiciário ao realizar justiça e reconhecer o importante papel da OAB. A advocacia é pilar fundamental do Judiciário e da democracia, e fortalecer a imunidade e independência da OAB e dos advogados torna possível ao Judiciário exercer o seu papel constitucional.”

Mas, quem deveria ser elogiado, seria o Delegado, que teve a coragem necessária para mandar ao "xilindró" quem, no momento, praticava crime.

Responsabilização

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A decisão foi acertada, bem como a atuação da OAB na defesa das prerrogativas da classe. Porém, sem qualquer revanchismo ou espírito de emulação, a classe não pode se contentar apenas como o arquivamento do inquérito. A Ordem deve atuar com vigor, exigindo a responsabilização criminal, administrativa e cível do agente policial desviado do cumprimento de suas obrigações.

Comentar

Comentários encerrados em 27/07/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.