Consultor Jurídico

Colunas

Senso Incomum

A reforma da Previdência: um tiro no pé, danação — já se deram conta?

Comentários de leitores

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

59 comentários

Sérgio Brito Ferreira

Ivo Lima (Advogado Assalariado)

O Sr. foi sagaz nesse achado, parabéns por desmascará-lo.

Brilhante

O IDEÓLOGO (Outros)

O maior jurista brasileiro apresenta um artigo, simplesmente, brilhante.
Lamento que a maioria dos profissionais jurídicos, porque "versados" em Manuais, não conseguem captar a mensagem.
É, estamos bem.

Coisas que só a coluna do jurista faz

Sérgio Brito Ferreira (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Só a coluna do jurista consegue transformar um estudante de direito - Johannes de silentio - em advogado autônomo - Rui Joaquim Sobral Barbosa Nabuco Pinto. Vergonhoso. Melhor ainda é a moderação dos comentários. Só publicam os comentários que interessam.

Retirar direitos sociais: pura maldade.

SMJ (Procurador Federal)

Impressionante como, em um país pobre e desigual como o Brasil são retirados e diminuídos direitos sociais a rodo como estão fazendo com a aprovação dessa PEC 6/2019. É maldade demais. O empobrecimento que a deforma da previdência causará nos legará mais drogados, mais pedintes, mais crianças carentes e mais bandidos. Não? E quando os pais e avós ficarem desempregados antes de atingirem a idade mínima, ou quando receberem benefícios de fome, quem dará condições de vida digna (inclusive educação) a seus filhos e netos?

Ah! "A questão social é uma questão de polícia". Tinha esquecido. O Estado policial está sendo fortalecido. Tudo dominado. A casa grande reinará cada vez mais inconteste enquanto os escravos padecerão cada vez mais na senzala, de onde nunca devem sair.

Johannes de silentio

Sérgio Brito Ferreira (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

E eis que que Johannes de silentio virou Sobral Pinto. Só no Brasil mesmo. Rindo alto.

https://www.conjur.com.br/2019-mar-16/diario-classe-sentimentalismo-doa-juiza-mudou-lula

Terrae Brasilis ou Lacrolândia?

Advogado (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Leio, admiro e gosto do Prof. Lênio. Comungo diversas preocupações sobre o ativismo judicial decorrente de extrapolações ministeriais. Também é fato que ninguém é neutro. Mas há, suponho, uma linha entre o que seriam fundamentos jurídicos ou até mesmo jurídico-políticos com a pura e simples militância, aquele eivada de clichês e lugares-comum, muito próxima dos atos de fé de qualquer religião. E nesse artigo, vemos que o Prof. optou por visitar a Lacrolândia. Aos números (copio aqui o Amoêdo, ressaltando que os números são objetivos e, portanto, refutáveis - quem quiser que o faça - sem necessidade do ad hominem):

-Gasto anual da previdência: R$767 bi.

-Deste total, R$23 bi (3%) vão para os 20% mais pobres.

-Já para os 20% mais ricos, são R$314 bi (41%).

A previdência atual é uma máquina de privilégios e distribuição de renda dos mais pobres para os mais ricos.

É sério que atacar esse problema é um "tiro no pé"?

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Somos o país das corporações. E quem não pertence a nenhuma delas que se lasque. Mas a realidade é um bicho insistente. Ela bate na porta, bate na porta, e se não lhe atenderem, ela acaba por arrombá-la. Aconteceu, por exemplo, na Grécia (onde também se mencionava termos como 'burguês', 'mais-valia' e outros do século passado).

Streck e o necessário exercício crítico

Dartiz (Bacharel)

O professor Streck com a coragem e erudição que lhe são peculiares nos apresenta alguns problemas dessa reforma. Parece-nos que há tempos já deveríamos ter feito ajustes em nossa Previdência Social, o que evitaria a necessidade de mudanças tão drásticas como as que estão porvir. Independentemente de espectros políticos e ideológicos, em momentos como esse uma parada é sempre importante, a fim de exercitamos de modo autêntico nossa capacidade crítica. Ao final, podemos manter nossas posições ou retificá-las no todo ou em parte. Assim o professor Streck enriquece o debate público nacional e nos convida a (re)pensar o Direito e, nesse caso específico, a elaboração legislativa ora em curso. Streck é uma voz que deve ser ouvida, senão com a admiração que merece, ao menos com o devido respeito.

Bóias e coletes...

Gabriel Severo de Oliveira (Estudante de Direito)

Vi camaradas falando que as reformas trabalhista e da previdência equivaleriam a dar boias aos náufragos, vou me aproveitar da alegoria.

Os poderosos que naufragaram a embarcação já foram todos resgatados de helicóptero, e agora atiram ao povo, que regozija, vistosos coletes salva-vidas. Feitos de chumbo. E salve-se quem puder.

McFrango Feliz

André Pinheiro (Advogado Autônomo - Tributária)

Terei que discordar do articulista, porque há vários tipos de frangos. O franguinho ossudo não entende e sequer que vai ter capacidade de entender o que está acontecendo mesmo quando acontecer.
O franguinho esmirrado não serve para o abate mas no máximo para botar o ovo incansavelmente.
O frango tem pouca escolaridade, se preocupa com os trejeitos do vizinho, gosta das baladas e das bebidas mas acha que o mundo está perdido, quando casa condena o mundo em perdição, acredita nas obras da natureza nas obras de Deus para suas mazelas pessoais.
Já o McFrango feliz admira o capitalista, sonha e fazer parte da elite do país, tem medo de empreender por isso deseja ardentemente ter o fixo, esse acredita os capitalistas são exemplo a ser seguido. Por isso acreditam cegamente no discurso da Imprensa. O McFrango feliz não consegue calcular quanto custa o trabalho ou a mais-valia dele, está disposto a se sacrificar conforme os ditames e os dados apresentados pela imprensa. Não consegue calcular os gastos de cinco anos a mais de trabalho no final da vida e os reflexos na vida, na Saúde física e mental. O McFrango Feliz só não perde para o Peru.
O peru é o pequeno Burguês e aprendeu que o mercado se auto-regula, acredita no workfare State. E que a mercadoria traz o lucro e o dinheiro. A civilidade, a boa educação, a cultura, a ciência, o estudo tudo isso são frivolidades, no máximo são meios que o Pequeno Burguês de pouco estudo tem para ganhar mais dinheiro.
O Pequeno Burguês, digo o peru, que podem ser profissionais liberais, Advogados, não consegue compreender da onde vem o dinheiro ou para onde vai. O peru acredita que a solução para o Peru é que economizando a ração dos frangos sobrará mais ração para eles. O dono da Fazenda agradece.

E tem mais...

Rodrigo Zampoli Pereira (Advogado Autônomo - Civil)

Mandei petição (Correios - AR)com as provas para o Presidente Jair Bolsonaro sobre isso que aconteceu com a minha cliente, sua assessoria me respondeu dizendo que encaminharia ao Ministério da Economia/Fazenda e assim o fez, recebi e-mail disso.

Desde março / abril de 2019, e, agora começo de junho / julho de 2019 oficiei com petição (e-mail s) e todas as provas os 513 Deputados (as) Federais, e os 81 Senadores (as) da República dando ciência ao mesmo desta teratologia feita pelo STF.

Estou com minha consciência tranquila. "Combati o bom combate." Bíblia - Segunda Carta a Timóteo.

Não fui omisso.

Atenciosamente,
/>Rodrigo Zampoli Pereira
OAB-MT 7198
OAB-SP 302569

www.stf.jus.br = AgRg no RE 732676-MT, e, AR 2715-MT

Rodrigo Zampoli Pereira (Advogado Autônomo - Civil)

Assiste razão ao Professor Lenio. Nos dois processos acima sobre aposentadoria proporcional de 25 anos e 02 meses onde a emenda a constituição nº 20/98 do governo FHC acabou com a vida desta cidadã brasileira. Ela queria e quer receber 70% do valor que ela pagou, contribuiu com os cofres do Estado. O Estado brasileiro quebra contratos, não reconhece o direito adquirido no direito previdenciário, aprendi que o contrato faz lei entre as partes, mas o poderoso guardião da Constituição Federal não, ele permite que o Estado se enriqueça a custas do suor do seu rosto, ou melhor, do suor do rosto desta cidadã brasileira. O Estado se enriquecendo as custas alheia.

Votei no Bolsonaro, já estou arrependido (era melhor eu ter anulado meu voto/NUNCA votei no Lula e nem na Dilma), tem vídeo dele no youtube, ele sendo contra a reforma da previdência, onde a SOLUÇÃO É ACABAR COM A (DRU) = DESVINCULAÇÃO DE RECEITAS DA UNIÃO, e ACABAR COM 100% dos INCENTIVOS FISCAIS DIRECIONADOS.
Quem é a favor desta teratológica, nefasta reforma da previdência, vejam: www.stf.jus.br = AgRg no RE 732676-MT, e, AR 2715-MT, reflitam, provavelmente darão razão ao Professor Lênio. Ademais, o pedágio deste processo era e é de 40%, onde mudaram a regra do jogo no meio do jogo, tudo sendo aplaudido pelo STF, ou seja, direito adquirido inexistente, cláusula pétrea é mero adorno, e tem mais, na AR 2715-MT a cidadã foi ameaçada se recorresse tomaria uma litigância de má-fé nas costas. Só um conselho, quem é Advogado (a) da iniciativa privada (cobrem consulta, assessoria, não trabalhem no risco = sócio de clientes), ou, de outras classes da iniciativa privada trabalhem honestamente para ficarem ricos. Governo não liga para ninguém.

Rodrigo Zampoli
OAB-MT 7198
OAB-SP 302569

Os haters estão piorando

Estudante Dir. (Outros)

É impressionante como essa onda revanchista tem chegado longe. Para xingar os inimigos da vez, os haters deixam de lado não somente sua condição de cidadãos, mas até mesmo os seus próprios interesses pessoais, que são atingidos pelos atos desse governo. Não se vê ninguém trazendo argumentos para discutir os pontos problemáticos da reforma, destacados pelo colunista. Só xingamentos. É realmente desanimador. Com esse tipo de irracionalidade, não há possibilidade de qualquer debate público, só briga de torcedores mesmo.

Perguntar não ofende.

Thiago Bandeira (Funcionário público)

Se o Mercado é uma "entidade metafísica" como diz Lenio, o que seriam as tais "promessas da modernidade"?
Bingo?

Vamos aposentar o "jurista" Lenio

Júlio M Guimarães (Bacharel - Trabalhista)

Onde estava o senhor quando a petralhada saqueou os fundos de pensão da Petrobrás, dos Correios, do Banco do Brasil, do FIFGTS?
Não viu? Não ficou sabendo?
Poupe-nos.

A verdade sobre os privilégios

GUSTAVO MP (Outro)

O que o colunista, a imprensa e os "renomados" juristas não informam é que na verdade o que está em jogo são os privilégios dos poderes executivo, legislativo e judiciário! Que são as jabuticabas de Auxílio moradia, paletó, educação, maquiagem, etc... gastos estrondosos de combustíveis, carros oficiais, cartões corporativos, fora o tal auxílio gabinete que só serve para financiar funcionários fantasmas, daí vem a "falácia" que sem a reforma da previdência o Brasil quebra, mas o que na verdade está quebrando é a manutenção dos privilégios dos três poderes! E toda essa articulação política de esquerda/direita é apenas um teatro medonho, pois todos são do mesmo chiqueiro! Engraçado é que nenhum colunista, especialistas da imprensa e ninguém dos "renomados" juristas ousam sequer questionar o porque ninguém dos três poderes abre mão de suas regalias, privilégios e mamata que os sustenta? Dizem que o Brasil está quebrado mais têm senador gastando 100 mil reais por mês com a imoral verba de gabinete e deputados gastando a "suposta" verba de combustível adoidado! E tudo isso formaliza seus paramentos baseados que estamos numa democracia..... Se o Brasil é uma democracia, eu sou o Batman!

A mãe de todas as injustiças (agora a todo o brasileiro)

Paulo Meireles (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Não só os da classe média, pois TODOS - o Brasil - terão que pagar o verdadeiro rombo que (atualmente não tinha, era só parar de usar o dinheiro da previdência em outras despesas do governo).

Explico, é que os contribuintes da previdência não pagarão mais do que 550 reais por mês no lugar dos 3 ou 4 mil que pagavam - cada um deles (os servidores públicos federais já migraram em massa e os que entraram após 2003, memo que ganhem muito, pagam no máximo 550 reais e só até aposentarem, antes pagavam mesmo aposentados os mais de 3 mil até morrer), logo não haverá, aí sim, contribuições para fazer frente aos milhares de já aposentados...

Adivinhem de onde virá o dinheiro? (Por isso tb tem projeto, talvez já aprovado tb junto, de desvincular aposentadorias da inflação. Calote dobrado?! Mas sempre terá que pagar algo dos antigos, agora sem contribuição ...

administração em erro?

Para encerrar, só uma constatação matemática aproximada e hipotética (números exatos não tenho, apenas para despertar o interesse no raciocino), o dinheiro que os “migrados” não pagarão mais de previdência irá parar nos bancos, cerca de, imaginemos, 30 milhões de servidores, vezes uma média de 1,5 mil reais, dão a fábula mensal de 45 BILHÕES ... bancos pagando 0,35% ao mês nas aplicações e emprestando o mesmo dinheiro a 4,5% ao mês para quem precisa, os empreendedores da “economia movimentada” (inclusive ao governo, lembram da dívida interna), ou seja, ganhando à custa de muitos trabalhadores, nosso povo, justamente o mais esforçado e com os melhores salários (tirem da cabeça que são vilōes, simplesmente são os que fizeram maiores sacrifícios, muitos sabem do que falo...).

Quem está ganhando com isso mesmo?!

A inútil tarefa de Sísifo

Frabetti (Professor Universitário)

Grande parte da população atingida por esta malfadada reforma não possui a menor ideia de como o saco de maldades inseridos no corpo da reforma irá lhe atingir, vez que está anestesiada como o pobre Sísifo.

A imprensa, de forma geral, fala em fim de privilégios e o Messias diz que todos terão que contribuir. Eles só se esquecem de informar que o conceito de todos não significa todos: militares, filhos dos "escolhidos" e a classe política, continuam a desfrutar das regalias da corte.

E assim, como a 100 anos atrás "La nave vá".

A mãe de todas as injustiças (cont.)

Paulo Meireles (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Para encerrar, se o Brasil for daqui uma geração, com todo o sacrifício da nossa, for uma potência, estarei feliz no além (mesmo que alguns tenham o desplante de dizer que somos os culpados...). Entendo que o governo não tem como tirar dos empresários ou outros, porque perderia sustentação, por isso mais fácil sacrificar as “ovelhas” (trabalhadores, servidores, que contribuem cativamente e, verdade, tem muitos ruins no serviço público esquerdoides que apoiam ladroes ... felizmente não me incluo nestes e somos a maioria de bons, esforçados e trabalhadores para servir e fazer justiça (a partir disso não sei se essa palavra ainda valerá...), mas sofreremos junto...)

A mãe das injustiças!

Paulo Meireles (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Pois é! Fazendo uma geração perdida. Infelizmente não posso considerar certo pagar o pato, comecei a trabalhar aos 17 e vou aposentar aos 65 (se chegar lá) com 49 anos de contribuição sobre meu salário total e continuarei pagando quando aposentado até morrer (já era assim essa parte) e ainda a alíquota vai aumentar no caso dos meus rendimentos, IR é o próximo com a supressão da possibilidade de deduzir despesas médicas, altíssimas, a conta que está dando é pagar 42.5% entre previdência e IR direto na folha ... (depois vem outros impostos diretos e indiretos). Se sofrer um AVC, só aposentarei com 1/3 do q ganho, praticamente o custo do plano de saúde, duvido que sobreviva ... RESUMO virei escravo e minha mãe que era analfabeta é a culpada, pois disse, “estude meu filho, vire um doutor e seja muito trabalhador!” ... PESSOAL, uma nação para se fazer grande, precisa de justiça a cada um... (sei que ainda assim muitos irão criticar, mas paciência, a verdade, será a sempre verdade... tb adianto, sei que com a turma dos ladroes que saíram era muito pior)... enfim... (e tem mais problemas, o verdadeiro, a dívida interna de 4 TRILHÕES, graças a turma passada. FATO estou e estamos em maus lençóis, espero que o sacrifício da minha geração sirva para algo e não para novos “roubos”. Olho vivo Povo.

  • Página:
  • 1
  • 2
  • 3

Comentar

É necessário se identificar fazendo login no site para poder comentar.
Não tem conta na ConJur? Clique aqui e cadastre-se!