Consultor Jurídico

Notícias

Moro na Câmara

Moro diz que mensagens enviadas a Deltan foram adulteradas "total ou parcialmente"

Por 

O ministro da Justiça, Sergio Moro, voltou a defender, nesta terça-feira (2/7), sua tese de que as mensagens que trocou com o procurador da República Deltan Dallagnol foram adulteradas, mas não mostram "nada de mais". Na visão dele, é comum juízes trocarem informações com procuradores e advogados. 

Moro reafirma que é comum troca de informações entre juiz e procurador. 
José Cruz/Agência Brasil

Moro esteve em audiência na Câmara dos Deputados nesta terça prestando esclarecimentos sobre o conteúdo revelado pelo site The Intercept Brasil, que apresentou mensagens trocadas entre o Moro, então juiz federal, e procuradores da operação.

"As mensagens podem ser alteradas. Asseguro que atuei com imparcialidade. Isso é confirmado na manutenção das minhas decisões pelas instâncias recursais. O reconhecimento da 'lava jato' internacionalmente também é um motivo de reconhecimento da operação", disse. 

As conversas divulgadas pelo site The Intercept Brasil ocorreram quando Moro ainda atuava como juiz federal em Curitiba. Por causa delas, Moro tem sido alvo de críticas por sua conduta na operação "lava jato". No mês passado, ele prestou esclarecimentos sobre o caso no Senado.

Sérgio Moro enumerou novamente os motivos pelos quais aceitou ser ministro de Bolsonaro. Segundo ele, havia mais chances de contribuir com o combate à corrupção como ministro do que como juiz. 

"O objetivo seria barrar tentativas de retrocesso no combate à corrupção, ao crime violento e ao crime organizado", afirmou. 

Atuação no Processo
O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) disse que o que está em debate não é ser contra ou a favor do combate à corrupção. "A questão é como se deve dar, como deve ser feito. O que estamos debatendo não é o conteúdo, mas como se comportou na presidência do processo", disse. 

Molon questionou também se algum dos diálogos atribuídos a Moro seria negado. "Alguma frase? Alguma pergunta? Nós percebemos que vossa excelência não os confirma. Mas a minha pergunta é outra. Não peço que confirme. Eu pergunto: algum deles é negado peremptoriamente? Disso nós precisamos saber", questionou. 

 é correspondente da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 2 de julho de 2019, 17h13

Comentários de leitores

2 comentários

Radicalismo político do Conjur

AC-RJ (Advogado Autônomo)

A matéria está grosseiramente distorcida. Este site é o único que sustenta que as mensagens obtidas clandestinamente pelo site Intercept são verdadeiras, mesmo sem prova alguma. Por outro lado, há vários sites que informam que as mensagens clandestinas foram distorcidas, mas ao contrário do Conjur, exibindo as provas do que afirmam. Além disto, a imparcialidade foi desprezada na matéria. Foi entrevistado apenas um único parlamentar, que é de oposição ao atual governo. Por que também não se entrevistou outro, de apoio ao governo, para que os leitores pudessem ver os dois pontos de vista sobre o assunto?

Mensagem do Futuro

acsgomes (Outros)

É claro que podem ser alteradas as mensagens. Neste final de semana teve até publicação de uma mensagem vinda do futuro e outra de um procurador que estava preso. A questão é simples, enquanto o Intercept não liberar TODAS as mensagens para serem periciadas a autenticidade delas fica sob suspeita. Aliás, como qualquer outra "prova".

Comentários encerrados em 10/07/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.