Consultor Jurídico

Notícias

Bancos x Coaf

Moro quer mudar normas do Banco Central sobre lavagem de dinheiro

Por 

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, criou um grupo de trabalho para reavaliar normas do Banco Central sobre o combate à lavagem de dinheiro. A determinação está na Portaria 82, publicada nesta segunda-feira (28/1) no Diário Oficial da União.

Moro criou grupo de trabalho para reavaliar normas do Banco Central sobre o combate à lavagem de dinheiro
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

A intenção é fazer alterações na comunicação entre os bancos e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) de casos suspeitos de lavagem de dinheiro.

Coordenado por algum representante do Coaf, o grupo será formado pelo Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional da Secretaria Nacional de Justiça e pela Polícia Federal.

Prioridades
A decisão de criar o grupo se baseou em uma consulta feita pelo Banco Central na semana passada, após proposta do órgão de excluir parentes de políticos da lista de monitoramento obrigatório das instituições financeiras. A autarquia propôs ainda derrubar a exigência de que todas as transações bancárias acima de R$ 10 mil sejam notificadas ao Coaf.

Nas reuniões do grupo de transição de governo, em Brasília, no ano passado, Moro sempre deixou claro que a prioridade da gestão dele será mirar o patrimônio dos criminosos, uma estratégia da operação "lava jato" que deve ser ampliada.

Clique aqui para ler a portaria.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 29 de janeiro de 2019, 11h00

Comentários de leitores

3 comentários

Danilo Santos Sil

Ivo Lima (Advogado Assalariado)

A única "fraquejada" aqui foi o seu comentário inoportuno, revelando sua falta de conhecimento sobre a matéria.

O ministro da justiça deu uma "fraquejada"

Danilo Santos Sil (Advogado Assalariado - Administrativa)

"Proposta do BC cogita excluir parentes de políticos do monitoramento de instituições financeiras"... Sabem o que o paladino da justiça disse a respeito? "TALVEZ não estejam propondo a coisa certa, mas têm BOA INTENÇÃO"(Sérgio Moro, 24/01/2019)... Imagina se o BC propõe uma imoralidade dessas no governo Lula ou Dilma, qual seria a reação do justiceiro de Curitiba e dos minions paneleiros?

Investigar as castas?

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Entre as mudanças, poder-se-ia começar a monitorar os magistrados brasileiros, notadamente no que tange ao recebimento de vantagens pecuniárias ilegais como o auxílio-moradia. Claro que essa hipótese iria em desencontro aos interesses de alguns, mas estaria em consonância com a Constituição.

Comentários encerrados em 06/02/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.