Consultor Jurídico

Comentários de leitores

17 comentários

Comentário falacioso

Afonso de Souza (Outros)

pljunges (Advogado Autônomo - Administrativa), ser contra a ideia de que exista uma "escalada punitivista" ou um "encarceramento em massa" no País não significa necessariamente defender ou ser contra o que está no trecho abaixo:

"Não há triagem dos detentos, não há programas sérios de ressocialização, nós apenas depositamos os detentos nos presídios para que "apodreçam" lá".

Comentários Estranhos

pljunges (Advogado Autônomo - Administrativa)

O sentimento de insegurança da população é o motor da defesa do punitivismo irrestrito. Esta escalada punitivista, entretanto não resulta em redução da violência. Tanto é que saímos de uma população carcerária de 230 mil, no ano de 2000, para mais de 750 mil hoje, e, neste período não se reduziram os índices de criminalidade, muito pelo contrário.
O problema é que encarceramos muito e encarceramos mal. Não há triagem dos detentos, não há programas sérios de ressocialização, nós apenas depositamos os detentos nos presídios para que "apodreçam" lá.
Os presídios, hoje, são as centrais do crime (vide o que está ocorrendo no Ceará), então esse modelo está equivocado e a turma do "prende e arrebenta" presente nos comentários, não é capaz de raciocinar além da raiva por se sentir inseguro.

defensoria tbem vem sendo acusaçao

daniel (Outros - Administrativa)

Defensoria tbem vem sendo acusadora como assistente da acusaçao e em açoes penais privadas e sem comprovar carencia do cliente. É preciso acabar com o mito de atividade privativa da defensoria.

Discordando

Afonso de Souza (Outros)

Ao Adir Campos (Advogado Autônomo - Administrativa):

Sim, eu me recuso a admitir isso, e só porque não acho que isso seja verdade. E nem justo. Colocando-se as coisas nos seus termos, todos os cidadãos teriam que ser favoráveis ao modelo das sociais-democracias nórdicas para não terem que sofrer com os crimes (cometidos pelos outros). Ora...

A ilusão do punitivismo

Adir Campos (Advogado Autônomo - Administrativa)

É simplesmente impressionante a dificuldade que os defensores do punitivismo têm de compreender que o aumento da repressão estatal não serve para nada a não ser para aliviar o sentimento de indignação e vingança contra os horrores da criminalidade. As causas da criminalidade permanecerão intactas.
Esses raivosos senhores recusam-se a admitir que somente o combate à desigualdade social e a transformação geral e profunda da sociedade individualista, consumista e mercantilizada, que beneficia apenas uma ínfima minoria, poderá resolver esse problema.
Mirem-se nos países escandinavos, e a resposta está lá, à vista de todos.

Mais do mesmo...

Afonso de Souza (Outros)

Encarceramento em massa? Não, basta botar na cadeia todos aqueles ("brancos" ou "negros", "ricos" ou "pobres") que tenham cometido crimes que, dada a gravidade, mereçam, como punição, pena de tal natureza.
A premissa de que a desigualdade social é determinante para explicar os índices de criminalidade é desmentida todos os dias pela realidade.

"Discurso político punitivista encanta muita gente, mas é eq

Luis Claudio Cristiano (Advogado Autônomo - Administrativa)

Pena de morte, somente a pena de morte, para crime que tiram a vida de terceiros, matou, foi doloso, matou para roubar coisa alheia, pena de morte, e não se fala mais nisto.
Vamos tirar está cláusula pétrea da constituição, e mudar totalmente a constituição federal, direcionando somente benefícios para cidadãos de bem, bandido, temos que tratar como bandidos, ele fez a escolha pelo crime, que pague pela sua escolha, com sua vida, e não com a vida do cidadão de bem.

+ 1 Filho

ENGRAVATADOS (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

A perspectiva vitimista assola o país, infelizmente no meio advocatício, presumo que 1 em 1.000 tem um discurso equilibrado. Vai levar anos pra se livrar do coitadismo social, isso se conseguirmos.

Ocioso

Flavio Mansur (Advogado Autônomo)

Comentar tais disparates. Parei de ler em "encarceramento em massa", a ideia mais oligofrênica já disparada por algum celerado.

Nota da Redação - comentário ofensivo Comentário editado

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Comentário ofensivo removido por violar a política do site.

Excelente texto

Mazein (Advogado Autônomo - Tributária)

Os comentários do Conjur são uma prova de que a sociedade está doente. Os "ditos especialistas" usam argumentos do grande doutrinador "zap zap" para fundamentar sua falta de conhecimento da realidade do país.

Além do mais, alguns ainda tem a capacidade de atacar o articulista com o argumento "concursadinho", como se isso fosse uma ofensa àqueles que conseguiram se diferenciar dos demais ao passar em provas que a grande maioria sequer chega perto.

Por sorte, esses exaltados são apenas a minoria barulhenta com tempo livre...

Nota da Redação - comentário ofensivo Comentário editado

Eliel Karkles (Advogado Autônomo - Civil)

Comentário ofensivo removido por violar a política do site.

Nota da Redação - comentário ofensivo Comentário editado

Luiz Eduardo Osse (Outros)

Comentário ofensivo removido por violar a política do site.

Data vênia!

Neli (Procurador do Município)

País da Impunidade!
A Constituição de 1988 é a única do Universo a dar cidadania para bandidos comuns. E nela foi constitucionalizado no art. 5º, implicitamente, o aforismo: o crime compensa.
Não existe nenhuma constituição, de país civilizado, enaltece tanto os criminosos comuns.
A impunidade penal começou com a Lei 5491/1973 e o Legislador constituinte, em 1988, confundiu bandidos comuns (que devem ser segregados da sociedade), com presos políticos.
Na epidemia de crimes, no País da Impunidade, falar em cultura punitivista é um escárnio.
O que menos ocorre aqui é punição, porque há uma cláusula pétrea implícita: o crime compensa.
Data vênia.

Bobagem

acsgomes (Outros)

Mais um defensor público a falar bobagens.
1) Se levarmos em conta o número de habitantes, o Brasil tem a 26a população carceraria no mundo. É um erro crasso usar valores absolutos.
2) Se atualmente temos uma taxa de 60.000 homicidios/ano, obviamente não estamos encarcerando muito e sim muito pouco.

Democracia insustentável

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Produto de interesses insanos e contraditórios, a Constituição Federal elegeu os direitos como prioridade legal, esquecendo-se dos deveres.
Aproveitando-se dessa deturpação, os rebeldes primitivos, que não são bobos, não hesitaram em fustigar a sociedade, desequilibrando a equação entre agressor e vítima, com o auxílio de pensadores apoiados em juristas alienígenas, que elaboraram os seus "burilados conceitos" em realidades sociais, jurídicas, econômicas, éticas e políticas, totalmente distintas.
Disso resultou a vitória, parcial, dos mentecaptos, insolentes, agressivos e perturbadores, rebeldes primitivos.
O precário equilíbrio social fez que com a Democracia, já de baixa qualidade, se tornasse propícia à justificação dos ilícitos criminais, com reação tardia do STF na quebra, antes da coisa julgada, da presunção de inocência.
Contra esse "estado de coisas", foi eleito um Militar, a representação máxima do desconforto de boa parte da população contra parte da "intelligentsia" (do russo, интеллигенция) que advoga a tolerância com os despossuídos criminosos, estendendo-a aos perniciosos bandidos argentários

Brasil

Professor Edson (Professor)

Eu gostaria de conhecer um outro país assim; o cara mata alguém(crime hediondo), pega 20 anos de pena, tem que cumprir 2/5 da pena portanto 8 anos, ele "trabalha", "estuda" e faz resumo de bíblia ou livro qualquer e consegue a progressão com 5 anos da pena, 5 anos preso por matar um ser humano em um crime hediondo, eu desafio alguém à me dizer um outro país com uma lei parecida, eu desafio.

Comentar

Comentários encerrados em 4/02/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.