Consultor Jurídico

Notícias

Luta da classe

Associação de juízes comanda protesto em favor da Justiça do Trabalho no Rio

A volta do recesso do Judiciário nesta segunda-feira (21/1) foi marcada por manifestações em defesa da Justiça do Trabalho em diversas cidades. No Rio de Janeiro, segundo a organização do protesto, 150 pessoas se reuniram em frente ao Fórum de Lavradio.

O presidente da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 1ª Região (Amatra1), Ronaldo Callado, discursou convocando os presentes a se engajar na conscientização da sociedade sobre o que considera um retrocesso: a possível extinção da Justiça do Trabalho.

“Precisamos estar unidos e conscientizar a sociedade sobre o que está acontecendo. O presidente Bolsonaro falou que se pudesse extinguiria a Justiça do Trabalho. Não podemos deixar que isto aconteça. Temos que nos manter unidos”, disse Callado. Segundo o presidente da Amatra1, “não podemos permitir que ninguém interfira no movimento associativo sob qualquer alegação. Nosso dever estatutário e papel institucional é defender a Justiça do Trabalho”, disse Callado.

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro, Luciano Bandeira, afirmou que a entidade estará sempre ao lado da advocacia trabalhista nas mobilizações contra propostas que restrinjam a atuação dos profissionais e reduzam direitos sociais.

"A mobilização da magistratura, dos advogados, dos membros do Ministério Público deve ser contínua: não podemos permitir que acabem com o acesso à Justiça pelos cidadãos. A advocacia trabalhista lutará. Não vamos recuar. A OAB vai estar sempre junto. Retrocessos de direitos não passarão!"

Em entrevista ao SBT dias após sua posse, o presidente Jair Bolsonaro disse que os processos trabalhistas devem correr na Justiça comum e que há excesso de proteção ao trabalhador. Perguntado sobre o fim da Justiça do Trabalho disse: ""Poderia fazer, está sendo estudado. Em havendo clima, poderíamos discutir e até fazer uma proposta". 

Revista Consultor Jurídico, 21 de janeiro de 2019, 18h33

Comentários de leitores

2 comentários

Semelhança entre advogados, juízes e servidores indignados

MAIS MISES-MENOS marx (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Sabem qual a semelhança entre advogados, juízes e servidores indignados com o fim da JT?

Nenhum (ou pouco dos advogados) tem registro na CLT. Ou seja, é tão bom que ninguém quer...

justiça do trabalho serve mais para emprego juridico do que

analucia (Bacharel - Família)

justiça do trabalho serve mais para proteger e criar emprego no meio jurídicos do que para proteger o trabalhador. Somos o único país que tem uma justiça trabalhista palaciana e tão cara, como ramo autônomo.

Comentários encerrados em 29/01/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.