Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

O agente tem o livre-arbítrio de escolher se aceita a oferta

Lucas SR (Serventuário)

Interessante a abordagem, contudo, olvida-se o autor que o agente tem o livre arbítrio de escolher se faz o acordo com a acusação ou não. Me parece pouco crível a justificativa apresentada que, um inocente, pela ameaça de ser processado por diversos delitos, venha a confessar culpa por um crime que não cometeu, com receio das penas severas. Quem é inocente, provavelmente, irá preferir o curso do processo penal, com suas garantias indispensáveis, para ter um julgamento justo. Além disso, a afirmação que o Direito Penal tem uma missão me fez pensar. Dado o contexto do artigo, qual seria tal missão?

o pessoal continua binário

Edson Ronque III (Advogado Autônomo)

essa solução, da importação dos EUA, é ruim. não quer dizer que a única alternativa seja ficar como está. A europa tem um monte de países que tem um sistema penal muito melhor e mais justo para que usemos de exemplo pra importar alguma coisa melhor. a própria america do sul, como o uruguai, tem tido avanços na área que podemos usar de modelo. a questão é que esse modelo, especificamente, é péssimo e já já nem nos EUA será usado mais (provavelmente puxado pelo próximo presidente democrata quando o Trump sair). existem centenas de modelos no mundo pra gente se orientar, não precisa pegar um dos piores deles.

Entraves

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Um dos grandes entraves à punição dos culpados e absolvição dos inocentes, é o advogado criminal, que procura transformar uma realidade que atenda aos seus promíscuos interesses.
É evidente que, preferem um Juiz Garantista, Constitucionalista, Progressista, Pamprincipiologia a um Juiz Legalista, Juiz Positivista, Kelseniano. Afinal, quanto mais crimes, mais indecências jurídicas, mais inconstitucionalidades, mais clientes e ...polpudos honorários.

Com minhas escusas

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Não há de se falar em suprimir o princípio da inocência quando a opção pelo acordo ou não é do acusado e, se ele abre mão desse direito foi porque entendeu vantajoso. É lógico que ele deve ser orientado por advogado. O juiz observa a legalidade do ato, e homologa ou não. O que faz a justiça restaurativa? O JEC? Uma das opções é a própria indenização da vítima, num caso de furto por exemplo, o que não se pode ter mais é a inconsequência dos atos criminosos, pois se tal caminhada continuar logo, logo, vamos voltar a vingança privada. O advogado deverá orientar e assumir os riscos de sua orientação para com seu cliente. O réu já tem direito de renunciar a recursos, de confessar se lhe interessar, etc, sem que se possa afirmar que se violou o devido processo penal ou se abriu mão de princípio constitucional. Novos tempos, nova criminalidade novas ferramentas. outro ponto, a maioria das atuais ferramentas da defesa vieram de fora, sem que se criticasse, como a extensiva interpretação do principio da razoabilidade que a tudo deu embasamento.

sonho da adv criminal é da impune prescriçao

daniel (Outros - Administrativa)

Advocacia criminal quer um processo penal lento, demorado, e que acabe em prescriçao, pois dá lucro

Comentar

Comentários encerrados em 18/01/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.