Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Rommel

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Erwin Rommel (Heidenheim, 15 de novembro de 1891 — Herrlingen, 14 de outubro de 1944), apelidado de "A Raposa do Deserto", foi um militar alemão que serviu como General Marechal de Campo da Wehrmacht, as forças armadas da Alemanha Nazista durante a Segunda Guerra Mundial.
Rommel serviu na Primeira Guerra Mundial como um oficial e foi altamente condecorado, recebendo a Pour le Mérite por suas ações na Frente Italiana. No período entre guerras, escreveu livros e progrediu na carreira acadêmica e militar. Em 1937, publicou o livro intitulado Infanterie greift an ("Ataques de Infantaria"), onde dissertou sobre suas experiências em combate. Durante a Segunda Guerra Mundial, se destacou no comando da 7ª Divisão Panzer do exército alemão durante a invasão da França em 1940. Sua liderança das forças alemãs e italianas durante a Campanha Norte-Africana sedimentou sua reputação como um dos maiores comandantes e estrategistas com tanques durante o conflito. Foi no comando do Afrika Korps que ele recebeu a alcunha de der Wüstenfuchs, "o Raposa do Deserto". Rommel era respeitado até mesmo entre seus adversários, com os britânicos o reconhecendo por seu cavalheirismo, e os combates na África eram frequentemente referido como "guerra sem ódio".[1] Após ser derrotado na Segunda Batalha de El Alamein, foi transferido para enfrentar os Aliados na invasão da Normandia, em junho de 1944.
Rommel apoiou a ascensão de Hitler ao poder, embora sua relutância com relação ao antissemitismo, a ideologia nazista e seu level de conhecimento a respeito do Holocausto permanecem como assuntos de debate entre acadêmicos modernos. Em 1944, Rommel foi implicado na conspiração que envolveu o Atentado de 20 de Julho, quando membros da Resistência Alemã... (Fonte Wikipédia).

Há uma verdade incontestável no texto

MVCastro (Advogado da União)

Após ler partes do décimo, vigésimo, trigésimo texto do mesmo autor, sobre o mesmo tema ( unificação na AGU, ideia que não foi acolhida na CF, na LC e é rejeitada hoje por 80, 85% das carreiras previstas na LC da AGU), temos que concordar que as discussões sobre o tema estão na sua seara adequada: a dos transtornos psicológicos. É irritante como um site como esse permite esse tipo de repetição nauseabunda, dos mesmos temas, escritos sempre pelas mesmas 3-4 pessoas. Não há um controle mínimo de temática ou qualidade?

AGU

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Uma calamidade jurídica diante de suas incongruências internas.

Seria engraçado se não fosse trágico...

Justiça Fiscal (Outros)

Esse texto seria engraçado se não fosse trágica a minha situação... Busquei auxílio do Doutor Rommel Macedo quando esse era presidente da comissão da advocacia pública da OAB-DF e fui enxotado com uma desculpa qualquer. Há nossa atribuição não foi regulamentada... Vou contar a verdade para vocês. Advogado público quando diz amém aos desmandos do governo e da AGU é tratado a pão de ló, subsídios polpudos, honorários de sucumbência, horários de trabalho flexíveis. Agora bate de frente com os 'donos do poder'... Eitâ! Se não matam, demitem...

texto

4nus (Outros)

Seria engraçado uma advocacia que não precisa se identificar e defender as posições do seu cliente, eleito pela população para tomar decisões em nome dela. Será que precisamos mesmo de mais um ministério público?

Comentar

Comentários encerrados em 5/03/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.