Consultor Jurídico

Notícias

Investigações secretas

Procurador do MPF representa ao TCU para que inicie fiscalização na Receita

O subprocurador-geral da República Lucas Rocha Furtado enviou representação ao Tribunal de Contas de União para que seja instaurada fiscalização das atividades da Receita Federal. O motivo são as revelações da existência de investigações secretas sobre o patrimônio de “agentes públicos” em busca de indícios de crimes e o vazamento de um relatório sobre o ministro Gilmar Mendes.

As investigações, segundo documento interno da Receita revelado pela ConJur, procuram indícios de lavagem de dinheiro e corrupção. A lista tem 134 pessoas, escolhidas a partir de dados patrimoniais obtidos por meio de cruzamentos de dados. No documento sobre o ministro Gilmar, divulgado pela revista Veja, um auditor diz que há indícios de tráfico de influência, por causa dos rendimentos da mulher do ministro, advogada em Brasília.

Nada disso é atribuição da Receita Federal. Caso o Fisco chegue a dados que indiquem o cometimento de algum crime, devem enviar os indícios colhidos ao Ministério Público Federal. No caso de “agentes públicos”, o material deve ficar com o tribunal em que os agentes tenham prerrogativa de foro.

Em reunião com Gilmar Mendes nesta sexta, auditores fiscais pediram desculpas ao ministro pelo vazamento do documento, e garantiram que o episódio foi isolado. Em entrevista à revista Época, Gilmar disse que há um ministro do Supremo sendo chantageado para se dobrar às vontades dos órgãos de persecução, dentre os quais a Receita se incluiu.

Clique aqui para ler a representação

Revista Consultor Jurídico, 22 de fevereiro de 2019, 19h58

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 02/03/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.