Consultor Jurídico

Notícias

"Ofensas evidentes"

Justiça manda youtuber excluir vídeos que mencionam Eduardo Bolsonaro

O juiz Leandro Borges de Figueiredo, da 8ª Vara Cível de Brasília, determinou, nesta quinta-feira (21/2), que o youtuber PC Siqueira exclua os vídeos em que se refere à vida sexual do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) em até 48 horas. O caso tramita em segredo de justiça. 

Na decisão, o magistrado afirma que é evidente a ofensividade dos vídeos, ultrapassando a mera narrativa ou crítica. "Os vídeos ridicularizam o deputado, não como político ou por sua atuação pública, mas por fator que, verídicos ou não, fazem parte da sua intimidade, podendo causar danos a sua vida privada", alega.

O juiz cita ainda que os vídeos foram acessados milhares de vezes e sua manutenção acarreta "prejuízos indeléveis". "Com relação a pessoas públicas, deve ser avaliado o conteúdo e sua veracidade para verificar eventual abusividade no exercício da liberdade de expressão". 

Confusão Virtual
Em janeiro, o youtuber postou dois vídeos intitulados “O corno da vez é outro” e “O lado podre da família presidencial”,  após supostas mensagens direcionadas ao deputado no twitter sobre o seu relacionamento com a jornalista Patrícia Lélis.

Tudo começou quando a jornalista comentou uma postagem de PC Siqueira. As pessoas que acompanhavam o debate perceberam o post como uma indireta a Eduardo Bolsonaro.

0703927-94-2019.8.07.0001

Revista Consultor Jurídico, 21 de fevereiro de 2019, 14h50

Comentários de leitores

1 comentário

Shopping de fatos

O IDEÓLOGO (Outros)

Não se pode transformar a vida de uma pessoa em um "shopping de fatos personalíssimos".

Comentários encerrados em 01/03/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.