Consultor Jurídico

"Lá vem o juiz"

"Moro é celebridade num governo de civis quase racionais", diz revista

Retornar ao texto

Comentários de leitores

10 comentários

Quem se importa

Ivo Lima (Advogado Assalariado)

com o que esse panfleto ideológico tem a dizer sobre o Moro?

Racional

O IDEÓLOGO (Cartorário)

"A matriz teórica de Hegel foi sem dúvida o criticismo kantiano , criando um racionalismo diferenciado representando um verdadeiro marco intelectual da modernidade.
Destaca-se também o realce conferido por Hegel à Revolução Francesa que teve a grande influência na reestruturação das relações humanas da época.
Hegel foi o primeiro pensador a ter consciência completa de que a modernidade haveria de se tornar objeto de reflexão e justificação e o contexto da modernidade( definido pela trama da Revolução Francesa, o Iluminismo e da Reforma).
A Filosofia do Direito de Hegel passará, então, a representar um desafio no sentido dos indivíduos, entre a ordem e a liberdade, com vistas na construção de uma estrutura institucional sendo simultaneamente funcional e ética(onde há a proteção das liberdades individuais uma das maiores conquistas da modernidade).
"O que é real é racional, o que é racional é o real", é a máxima do idealismo racional hegeliano. Todo real só é real pois é conhecido por um sujeito que lhe identifica como real, e, nessa medida, aquilo que já foi conhecido, já se tornou racional.
Só conhecemos, o que se converte em pensamento. O ser para o idealista, é uma idéia, é um ser pensado (https://www.monografias.com/pt/trabalhos904/hegel-direito/hegel-direito2.shtml).

Moro

Ivete Maria Caribé da Rocha (Advogado Autônomo)

Moro só é celebridade para quem não leu suas decisões e não entendeu os seu propósitos torpes de colaborar na entrega das riquezas naturais e das grandes empresas do Brasil ao capital internacional e ferir mortalmente o sistema de justiça e a soberania do País!

Pau-mandado gringo

Almanakut Brasil (Jornalista)

A imprensa britânica não sabe onde enfiar a cara por causa do Brexit e mantém o topete alto.

Revista britânica dando pitacos?

Gilberto Ewald Lenhardt (Advogado Autônomo - Consumidor)

O tal "gibi" britânico deveria focar-se na embrulhada na qual os britânicos se enfiaram com o tal Brexit e deixar de meter o "bedelho" em assuntos de países que não fazem parte do tal "reino unido"!!
Irracionalidade cometeram eles ao anunciar o patético Brexit!!

Idiotices repetidas

Rogério galo (Advogado Assalariado - Trabalhista)

Não bastassem as idiotices ditas pela imprensa e revistas deste paizinho tupiniquim, ainda repetem as idiotices de fora.

Um vergonha.

José Aldo (Policial Militar)

Todos sabemos a quem essa revista serve, pois desde as campanhas eleitorais ela tenta macular a imagem de Bolsonaro. Mas quero deixar uma pergunta à revista: quem são os políticos experientes q deveriam estar no lugar de Sérgio moro? O bando de corrupto q por aí passaram? Ou os ministros q afundaram o país na crise etica, moral e econômica q estamos?
O Conjur também não passa embaixo, pois basta ver as suas colunas q amenizam a roubalheira do PT, a clemência com a prática abusiva de ministros do STF, como a de Ricardinho, q mandou prender o advogado no avião. Neste último caso, esse site publicou uma nota de repúdio em desfavor do advogado, q estava exercendo seu direito como cidadão.
Conjur, prove q vc é imparcial, publique uma matéria do jornalista Marcos Antônio vilas, da jovem pan, a qual ele faz referência aos privilégios dos 11 ministros do STF. Uma vergonha, Essa matéria. Ah, apesar de a maioria dos ministros serem "incipientes" no cargo, o Brasil está voltando a ter o respeito Internacional e nacional q há muito perdera, coisa q foi jogada da lata do lixo pelos políticos "experientes". Matéria vergonhosa e tendenciosa com um governo q está colocando o país nos "eixos".

Quem seria melhor?

ABCD (Outros)

O artigo da revista "The Economist" sugere que a nomeação de Moro é um risco, "tanto para sua reputação quanto para o Brasil". Então, quem seria melhor para ocupar o cargo? Uma estocadora de vento? Alguém que tem dor de cabeça ao ler livros? Um sociólogo formado pela USP? Poupe-me...

Deve ser mesmo

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Pode ser mesmo, prezado WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária), que o Autor da matéria citada seja quase racional. Afinal, se olharmos bem a questão, veremos que a revista "The Economist" foi fundada bastante recentemente, em setembro de 1843, e contando com apenas quase duzentos anos, não deve estar à altura do jornalismo que temos aqui no Brasil. Por outro lado, a sede da Empresa é na Inglaterra, país que apresenta uma cultura e conhecimento técnico atrasado considerando a realidade aqui da terra da bananeira. Para agravar, quase metade dos exemplares da revista é vendida em outro país extremamente atrasado em termos culturais, chamado de EUA (será que alguém já ouviu falar?). Certamente, dado todo esse subdesenvolvimento, devem ter entregado a reportagem a alguém despreparado, incapaz de compreender a nossa complexa realidade e a dimensão sideral do ministro Sérgio Moro.

então...

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Resta saber se quem assina a matéria é racional, pois tudo indica que sequer é quase racional.

Comentar

Comentários encerrados em 22/02/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.