Consultor Jurídico

Notícias

Luto na imprensa

Morre o jornalista Ricardo Boechat, da Band

Morreu na manhã desta segunda-feira (11/2) o jornalista Ricardo Boechat. Ele estava num helicóptero que caiu na rodovia Anhanguera, em São Paulo. O piloto, cujo nome não foi divulgado, também morreu.

Ricardo Boechat morreu nesta segunda em queda de helicóptero em São Paulo
DOL

Boechat voltava de Campinas, no interior do estado, onde proferiu palestra. Era apresentador da rádio BandNews FM e do Jornal da Band, da TV Bandeirantes. Ele tinha 66 anos.

Em nota, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, lamentou a perda. "Lamento a morte do jornalista Ricardo Boechat. A imprensa e a sociedade brasileira estão em luto pela perda desse excelente profissional que com dinamismo e versatilidade levava a notícia aos públicos mais diversos, seja para quem o lia na coluna da revista IstoÉ, seja para quem o ouvia na rádio ou o assistia nos telejornais da Band. Presto minhas sinceras condolências à família, aos amigos e às empresas para as quais trabalhou ao longo de quase meio século de jornalismo", disse.

"Era um gigante, um dos maiores jornalistas que conheci", comentou o ministro Luis Felipe Salomão, do Superior Tribunal de Justiça.

"Ao longo de quase 50 anos de carreira, o jornalista Ricardo Boechat construiu uma história marcada pelo profissionalismo, pela imparcialidade e pelo cultivo dos valores mais caros ao jornalismo, como a ética e o combate à corrupção. Jornalista multifacetado e premiado, Boechat consolidou seu nome entre os profissionais de imprensa mais respeitados do país. Com profunda tristeza, manifesto condolências aos familiares, amigos e todos os colaboradores do Grupo Bandeirantes", disse o presidente do STJ, ministro João Otávio de Noronha, em nota. 

O advogado-geral da União, André Mendonça, falou no Twitter: "Solidarizo-me com a família e peço a Deus que conforte o coração dos familiares e amigos deste profissional que, ao longo de sua vida, deu uma inestimável contribuição ao jornalismo e à sociedade brasileira".

Também no Twitter, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse: "É com pesar que recebo a triste notícia do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, que estava no helicóptero que caiu hoje em SP. Minha solidariedade à família do profissional e colega que sempre tive muito respeito, bem como do piloto".

Para os procuradores da força-tarefa da "lava jato", que enviaram nota por meio da assessoria de imprensa do MPF no Paraná, Boechat "contribuiu significativamente para a prática do bom jornalismo, exercendo a atividade com isenção, coragem e independência".

Também por meio de nota, a Associação Brasileira de Emissora de Rádio e TV (Abert) afirma que Boechat deixa uma lacuna no jornalismo e que sua habilidade em se comunicar com o público é um legado que fica para a história da comunicação do país. "Dono de um estilo inconfundível, Boechat honrou a profissão de jornalista, exercida com ética e compromisso com a verdade dos fatos", diz o texto.

Revista Consultor Jurídico, 11 de fevereiro de 2019, 13h54

Comentários de leitores

1 comentário

Descanse em paz Ricardo Boechat

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Descanse em paz Ricardo Boechat
Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista .
O Brasil está de luto pelo passamento prematuro do grande jornalista Ricardo Boechat, âncora do Jornal da Band e da Band News FM. Todo os dias acordávamos antes da 7:30 da manhã para ouvir seu programa na Band News FM e a noite o Jornal da Band. Indubitavelmente ele foi nos últimos anos o principal âncora do rádio e da tevê brasileira, razão porque era cobiçado, admirado e festejado, por todos os donos dos principais canais de rádio e da tevê brasileira. O único jornalista que tinha peito de falar da escravidão moderna, de um sindicato que usurpa vergonhosamente papel do Estado MEC, para impor sua máquina caça-níqueis. Ele deixou um legado valoroso. Ricardo Boechat, vai ser muito difícil substituir o profissionalismo, a credibilidade que você tão bem emprestou ao jornalismo brasileiro. Que multipliquem jornalistas épicos, homéricos, probos, portadores dos caracteres invejáveis, como este que acaba de nos deixar para que os órgãos entidades e instituições possam encontrar remédios, complementos e suplementos, capazes de encurtar os caminhos entre o desejável e o alcançável. Descanse em paz meu mestre Ricardo Boechat. À família enlutada aceite as minhas condolências.
Vasco Vasconcelos,
escritor e jurista
Brasília-DF..

Comentários encerrados em 19/02/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.