Consultor Jurídico

Notícias

Tragédia de Brumadinho

Raquel Dodge cria força-tarefa para investigar rompimento de barragem

Grupo nomeado pela procuradora-geral Raquel Dodge irá investigar colapso da barragem de Brumadinho. Rosinei Coutinho-STF

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, designou nove integrantes do Ministério Público Federal para atuar em Brumadinho. O grupo formará uma força-tarefa para investigar as causas e responsabilidades do rompimento da Barragem 1 da Mina do Córrego do Feijão, da mineradora Vale, no município mineiro. O colapso ocorreu no dia 25 de janeiro. Até o momento, são 115 mortes confirmadas e 248 desaparecidos.

A força-tarefa atuará por seis meses e as investigações serão conduzidas tanto na esfera cível quanto na criminal.

Raquel Dodge já havia designado peritos para acompanhar os desdobramentos dos fatos na região. O chefe da Assessoria Nacional de Perícia em Meio Ambiente do Ministério Público Federal, Murilo Lustosa, foi o nome indicado pela procuradora-geral da República.

Deputados também investigam
A Câmara dos Deputados criou uma comissão externa de parlamentares, em janeiro, para acompanhar as investigações e os desdobramentos do rompimento da barragem. O grupo composto por 15 integrantes será coordenado pelo deputado Zé Silva (SD-MG).

A criação do grupo foi publicada esta semana no Diário da Câmara. As atividades não terão ônus para a Casa. Existe ainda a possibilidade da criação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, formada tanto por deputados quanto por senadores, para apurar as responsabilidades sobre o rompimento da barragem. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 2 de fevereiro de 2019, 18h08

Comentários de leitores

2 comentários

Brumadinho e PGR

Contribuinte Indignado (Advogado Autônomo - Civil)

Parlamentares no contexto? Só para atrapalhar

PGR? ótimo

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

Procuradores da república? Ótimo.
Infelizmente temos visto uma certa lerdeza dos membros do Ministério Público estadual em casos como, boate kiss, crime de Mariana e agora crime de Brumadinho.

Comentários encerrados em 10/02/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.