Consultor Jurídico

Pressão pela imprensa

"Lava jato" vazava informações a jornalistas para intimidar investigados

Retornar ao texto

Comentários de leitores

10 comentários

Paralisia institucional

C.B.Morais (Advogado Autônomo)

Como já expressou Marcos Alves, o que se espanta é que essas notícias não levam a nenhuma consequência. Antes suspeitavam de edição, mas o ex juiz pediu desculpas ao MBL, uma procuradora pediu desculpas sobre referências ao falecimento de familiares do Lula, um outdoor foi pago por um procurador, tudo comprovado, mas nada ocorre com eles. O lenga lenga é que os vazamentos de agora são ilegais e os do passado eram por interesse público. Uma paralisia geral, e o mar de denúncias se enchendo de vergonha.

E agora, CNMP?

Perspicaz (Outros)

Para que serve o art. 236, inciso II, da Lei Complementar nº 75/1993?
Com a palavra, o CNMP.

\"modus operandi"

olhovivo (Outros)

Os verdugos perceberam há tempos o poder artificial, mas devastador para o Estado de Direito, que esse papel de fonte in off/vazador lhes conferiu, diante do repórter desesperado e ávido por furos. Constrange não só potenciais delatores, mas comumente é utilizado para constranger juízes e ministros (muitos se acovardam) a não se atreverem a reconhecer direitos ou absolver aqueles já condenados pelos verdugos perante a opinião pública (diga-se, manada ignara). Veja-se o exemplo do procurador/palestrante Dallagnol: embora soubesse da fragilidade da denúncia (conforme revelado pela Vaza Jato), montou um show com power point e tudo para condenar o alvo perante a galera, antes de iniciada a ação. E a coisa colou. Vale dizer, suprem a ineficiência e a inépcia pelo poder de fonte/vazador/show man, o que, neste último caso, rende uma grana em palestras em face da notoriedade galgada às custas de processos penais.

Sanção ao projeto da lei de abuso

Advogado militante (Advogado Assalariado - Civil)

Devemos orar para o Presidente sancione todo projeto de Lei contra abuso de autoridade.
O Brasil precisa desse freio nas muitas ilegalidades praticadas por agentes públicos.

O messianismo tirânico

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Aqui em "terrae brasilis" o povão, ignorante e estúpido, acredita em heróis de papel.
Democracia não é prioridade, mas segurança alimentar, educação e bons serviços médicos. Democracia, apenas depois de eliminar das mentes que "todo Messias acaba em um Ditador".

olhovivo (outros)

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Permita-me subscrever o seu comentário ao seu lado.
Aduzo, ainda, que a justicinha tupiniquim, assim mesmo em minúsculas porque indigna de reverência, é a mais intelectualmente desonesta do mundo, cheia de truques e mandrakismos abracadabra. E o povo, coitadinho. Tudo aceita sem questionar. Não passa de massa de modelar, manipulada nas mãos dos espertalhões que manipulam a informação e as paixões públicas para legitimar atos ilícitos e encobrir as falcatruas que cometem.
Punir todos os que agem ilicitamente, sim. Mas sempre dentro da lei.
No Brasil é assim: autoridades violam a lei hoje para fazer o que a população espera seja feito e acredita que as coisas são feitas respeitando a lei, mas tudo não passa de mera aparência para ocultar desígnios espúrios pessoais e não revelados das mesmas autoridades; depois, passado algum tempo, alcançados aqueles desígnios, que se mantêm incofessados, os fatos ilícitos praticados começam a vir à tona e em razão disso passam a aplicar a lei para melar tudo o que foi feito, e a “melação” é mesmo legítima, porque não se pode aceitar que autoridades violem a lei para aplicar outra lei.
Com assim agirem, certas autoridades presam o maior desserviço à nação, que poderia ser classificado como crime de lesa-pátria. E o povo, ah, o povo. Não percebe nunca quando é usado, manipulado e abusado. Está sempre pronto a emprestar apoio ao que lhe toca as paixões, menos à razão.
Que paiseco...!
(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

Nenhuma novidade!

Ayala (Advogado Autônomo - Criminal)

Lamentavelmente, esses vazadores se atribuíram licença para delinquir e ainda usam dessa delinquência não só para constranger, como também para acusar quem sabem inocentes, alterando a verdade dos fatos, ignorando provas e até mesmo invertendo-lhes o sentido. Não há novidade nisso! É o modus operandi... E a única maneira de conter isso é quebrar o monopólio da ação penal, permitindo que a vítima de delitos praticados por estes senhores do supremo poder de acusar possam promover, através de seu advogado, a persecução criminal! Seria benvinda uma CPI para investigar essa delinquência que se desenvolve de forma organizada e propor a alteração legislativa cabível para permitir a ação penal privada nas hipóteses de delitos praticados por essa categoria que exerce o dominus litis além e o custus legis aquém da legalidade!

Nenhuma novidade

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Nenhuma novidade. Esses vazamentos de informações para a imprensa foi comum durante toda a "Lava Jato". A imprensa sabia das decisões antes dos advogados. O que espanta, ainda, é o fato de que todo esse pessoal do Ministério Público e do Judiciário estejam ainda soltos, muito embora sejam pessoas de altíssima periculosidade, capazes de qualquer coisa para obterem o que é do desejo pessoal de cada um deles.

Ah, o tão prezado sigilo da fonte

Schneider L. (Servidor)

O grande Greenwald, defensor do sigilo da fonte agora o viola.

O que esperar de um indivíduo que já foi advogado de neo nazistas e agora se auto proclama como um grande democrata, isento e ético?

Escrotice

olhovivo (Outros)

Vazam e atribuem o vazamento "aos réus e defensores". Ou seja, uma mistura de covardia com malandragem e boa pitada de canalhice. E tem imbecis que ainda apoiam esses tipos que, além disso, zombam em cima da morte de uma criança de 7 anos.

Comentar

Comentários encerrados em 6/09/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.