Consultor Jurídico

Notícias

República de Curitiba

Procurador admite ter pago outdoor para promover "lava jato"

Comentários de leitores

5 comentários

Fez isso com dinheiro dele ou dinheiro público ?

daniel (Outros - Administrativa)

Porque tem altas autoridades judiciais e também escritórios milionários que pagam por publicidade em vários locais.

Quem correiciona a Corregedoria?

Advogado (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Parece-me que a própria Corregedoria do MPF está precisando de uma correição, não? Com a palavra o CNPM...

Bem vindo a república de Curitiba

DR. CARLOS ALBERTO (Advogado Associado a Escritório)

Bem vindo a república de Curitiba, aqui se cumpre a Lei contra qualquer desafeto e alvo de nossos mais sórdidos objetivos; aqui se prevarica, se antecipa punições inexistentes, se protege apaniguados, mas se persegue aqueles que elegemos inimigos do país; aqui nos auto promovemos, vigiamos a vida alheia, somos donos da moralidade pública e escondemos nossos mais sórdidos desejos, ao menos até sermos descobertos em ridículas tramas no Telegram.

O culto das personalidades

O IDEÓLOGO (Outros)

"O culto de personalidade, ou culto à personalidade, é uma estratégia de propaganda política baseada na exaltação das virtudes - reais e/ou supostas - do governante, bem como da divulgação positivista de sua figura. Cultos de personalidade são frequentemente encontrados em ditaduras, embora também existam em democracias. O termo "culto à personalidade" foi utilizado pela primeira vez por Nikita Khrushchov no Discurso secreto para denunciar Josef Stalin, apesar desta ideia aparecer sem este nome desde a Revolução Francesa quando os líderes políticos deixaram de ser vistos como representantes de terceiros para serem vistos representantes de si mesmos. Khrushchov citou uma carta de Karl Marx, que critica o "culto do indivíduo". Um culto da personalidade é semelhante a apoteose, exceto que ele é criado especificamente para os líderes políticos. O culto também pode aparecer como um culto a masculinidade artificial característico de lideranças políticas .O culto inclui cartazes gigantescos com a imagem do líder, sua constante bajulação por parte de meios de comunicação e muitas vezes perseguição aos dissidentes. Além de Stalin, pode-se dizer de outros ditadores, anteriores ao discurso de Khrushchov, como Adolf Hitler, Benito Mussolini, Mao Tsé-Tung tomaram medidas que levaram ao culto de sua personalidade, assim como Saddam Hussein, Nicolae Ceauşescu, Rafael Trujillo, Kim Il-sung e Kim Jong-il (Fonte Wikipédia).

Inimputabilidade e vedetismo patológico

olhovivo (Outros)

Essa do corregedor de já adiantar a "inimputabilidade" para livrar o colega de punições é do balacobaco. Pra denunciar os outros é hígido, mas para sofrer punições disciplinares é inimputável, é isso? Promover o culto patológico à própria personalidade e deliciar-se com o vedetismo ridículo talvez tenha mesmo um quê de inimputabilidade.

Comentar

Comentários encerrados em 3/09/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.