Consultor Jurídico

Notícias

Preso polêmico

Justiça decide transferir autor de livro sobre presos famosos em Tremembé

Por 

Por decisão da juíza Sueli Zeraik Oliveira Armani, da 1ª Vara de Execuções Criminais de Taubaté (SP), o ex-prefeito de Ferraz de Vasconcelos (SP) Acir Filló foi transferido da Penitenciária 2 de Tremembé, no interior de São Paulo, para o Centro de Detenção Provisória de Pinheiros, na capital paulista.

Filló cumpria pena no local desde maio de 2017. Sua transferência foi determinada no início deste mês após a proibição da venda de um livro escrito pelo detento.

A obra, batizada de “Diário de Tremembé - O presídio dos Famosos”, relata o cotidiano da penitenciária. Foi neste livro que o ex-prefeito contou como o ex-médico Roger Abdelmassih teria enganado a Justiça para obter o benefício da prisão domiciliar. Também nesta terça, Abdelmassih teve sua prisão domiciliar revogada. 

Sobre a transferência, a juíza afirma que, segundo informações do diretor da unidade, ela pode “inferir” que o preso não tinha mais condições de ficar naquele presídio porque teria causado um “descontentamento generalizado da população carcerária em virtude da exposição estampada no livro”.

Além de determinar a transferência para o CDP, a magistrada também proibiu a veiculação, distribuição e comercialização do livro e, ainda, mandou que o diretor do presídio faça uma pesquisa entre os presos citados na obra para apurar qual deles tinha interesse em mover ação contra Filló.

Clique aqui para ler a decisão.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 13 de agosto de 2019, 21h57

Comentários de leitores

1 comentário

Agenciamento de indenizações

ANTÔNIO DUARTE GUEDES (Advogado Assalariado - Empresarial)

Não entendi bem a licitude escorreita do édito judicial que promoveu censura de um livro, complementou-a com a transferência de seu autor de um (dos ricos) a outro (dos nem tanto) presídios e culminou com a determinação de que se consulte aos presos quem quer processar o mencionado autor! O recolhimento prisional sempre propiciou a produção de obras literárias, inclusive a de Adolf Hitler; as muitas do "Bandido da Luz Vermelha", que escrevia do "corredor da morte" de um presídio dos EUA; a de Graciliano Ramos... será, então, por motivo de segurança interna e segredos do presídio?

Ver todos comentáriosComentar