Consultor Jurídico

Costas quentes

Por "consideração", corregedor-geral do MPF deixou de investigar Dallagnol

Retornar ao texto

Comentários de leitores

7 comentários

Inversão de valores!

ABCD (Outros)

Por que a velha imprensa insiste em querer transformar o cumpridor da lei (Dallagnol) em bandido, em privilegiado? Em um país onde reinam a inversão de valores e o patrimonialismo, é difícil esperar por opiniões honestas da imprensa. Dallagnol e Moro: heróis nacionais.

Punições

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Somente o CNJ, que pune exemplarmente os juízes e, principalmente, as chefias de órgãos públicos, cumprem a sua missão.
Servidor público está na linha de frente. Mesmo assim, quando se engana, é severamente punido.
Enquanto isso, OAB e Ministério Público, agem como aqueles que não veem nada, não falam, não ouvem...

Campeã mundial da impunidade

olhovivo (Outros)

Se houvesse um campeonato mundial de impunidade de um órgão público, nesse quesito a corregedoria do mpf tupinambá ganharia disparado... e com louvor. Em 2003 completava 10 (DEZ) ANOS sem nunca ter punido ninguém (v.: https://www.conjur.com.br/2003-dez-02/ministerio_publico_federal_nao_pune_ninguem_dez_anos).
Considerando que de lá pra cá passou 16 anos, logo fará o aniversário de 30 anos de impunidade cabal.
Já que temos novo Congresso, que tal uma CPI para investigar o órgão mais impune da República?

Hum hum hum ... Sr. Cid Moura (Professor)...

Felipe Costa - Advogado Ceará (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Então quer dizer que, depois dessa ilegalidade inescusável praticada pelo Corregedor, sua indignação é com a OAB? De fato, os limites da indignação são meras conveniências. Dizer o quê? Mas o Cid Moura (Professor) deveria aproveitar o espaço e tecer considerações acerca do real objeto da matéria. Atreveria-se?

Foco

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Na OAB, prezado Cid Moura (Professor), a situação é ainda mais grave quando o assunto é acobertamento. No entanto, não me parece adequado, em uma discussão sobre acobertamento de delinquentes nos órgãos públicos, que as falhas da OAB sejam discutidas conjuntamente pois, independentemente de haver ou não falhas na função disciplinar na OAB, a falha no funcionamento das corregedorias continuam a existir. Como o tema é amplo, parece-me que imiscuir os problemas existentes na OAB em meio à discussão é uma forma de avolumar a discussão ao ponto de se perder o foco.

Acobertamento

Ciro C. (Outros)

Ao falar de Acobertamento não se esqueça da Oab.
Ou será que neste ponto a ordem não deve ser criticada?

Acobertamento

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Nenhuma novidade. A função correicional no Brasil, mesmo após a criação do Conselho Nacional do Ministério Público, e do Conselho Nacional de Justiça, sempre foi realizada mediante sistemática violação da lei, procurando-se sempre acobertar crimes e condutas ilegais praticadas por juízes e promotores.

Comentar

Comentários encerrados em 16/08/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.