Consultor Jurídico

Notícias

Criminosos Investigando

Gilmar Mendes pede providências do MP sobre procuradores da "lava jato"

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, afirmou, nesta terça-feira (6/8), que já está na hora de o Ministério Público tomar providências sobre a atuação de procuradores que atuam na operação "lava jato". O ministro se refere à nova leva de mensagens divulgadas pela imprensa. 

Gilmar reafirma que MP deve tomar providências sobre procuradores.
Nelson Jr./SCO/STF

Nas conversas, procuradores da "lava jato" se articularam para tentar achar algo que ligasse o ministro à operação. Segundo mensagens trocadas entre eles divulgadas pelo jornal El País Brasil, em parceria com o The Intercept Brasil, os procuradores queriam usar da investigação contra Paulo Preto, acusado de ser operador de propina para o PSDB, para chegar ao ministro. 

"Eu acho que está na hora de a Procuradoria tomar providências em relação a isso. Tudo indica, à medida que os fatos vão sendo revelados, que nós tínhamos uma organização criminosa para investigar. Portanto, eles partem de ilações absolutamente irresponsáveis", disse o magistrado.

As mensagens também mostram que os procuradores, que chegaram a alegar a suspeição de Gilmar, também cogitaram de pedir o impeachment dele ao Senado. Desistiram quando a procuradora Laura Tessler disse ter ficado sabendo que o advogado Modesto Carvalhosa protocolaria um pedido de impeachment de Gilmar.

"A mim me parece que isso é revelação de um quadro de desmando completo. Revela a gestão da PGR [Procuradoria-Geral da República], e certamente vamos ter ainda surpresas muito mais desagradáveis. Temos que reconhecer que as organizações Tabajara estavam comandando também esse grupo [de investigadores]", disse

Revista Consultor Jurídico, 6 de agosto de 2019, 16h07

Comentários de leitores

3 comentários

OLHA

Glaucio Manoel de Lima Barbosa (Advogado Assalariado - Empresarial)

Vejam a decisão do STF em 24 de fevereiro de 2016 sobre acesso do Fisco a dados bancário sem ordem judicial(LC 105/2001) no RE 601314. Vejamos um dos trecho do voto:
".....
O ministro afirmou que os instrumentos previstos na lei impugnada conferem efetividade ao dever geral de pagar impostos, não sendo medidas isoladas no contexto da autuação fazendária, que tem poderes e prerrogativas específicas para fazer valer esse dever. Gilmar Mendes lembrou que a inspeção de bagagens em aeroportos não é contestada, embora seja um procedimento bastante invasivo, mas é medida necessária e indispensável para que as autoridades alfandegárias possam fiscalizar e cobrar tributos.
......................"/>Três anos depois, será que estou em outro País? Só os blindados que tudo pode? "Tudo como Dantes no quartel de Abrantes."

Suprema Incongruência

acsgomes (Outros)

É de se lamentar que um Ministro do STF altamente "garantista" peça providências ao Ministério Público baseado em mensagens publicadas na imprensa sem a devida perícia e comprovação de autenticidade. Pura incongruência hipócrita.

Modesto carvalhosa & fundo do mpf

olhovivo (Outros)

Esses procuradores da operação Tabajara tiveram um aliado ponta firme: Modesto Carvalhosa. E querem $$$aber por que? Vide: https://revistaforum.com.br/politica/critico-do-stf-advogado-modesto-carvalhosa-e-socio-do-fundo-da-lava-jato/amp/.
Isso mesmo, o cara não é nada modesto quando o assunto é money. Conforme a matéria acima indicada "Crítico notório do Supremo Tribunal Federal (STF), o advogado não informou o quanto perdeu com a suspensão do acordo [aquele fundo inventado pelo MPF tirado dos ativos da Petrobrás], que assegurava aos seus clientes R$ 1,25 bilhão."

Comentários encerrados em 14/08/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.