Consultor Jurídico

Notícias

Conversa judicializada

Lula dará entrevista à Folha e ao El País na manhã desta sexta-feira

Por 

Após ser autorizado pelo Supremo Tribunal Federal a conversar com veículos de imprensa da cela em que está preso, em Curitiba, o ex-presidente Lula (PT) concederá entrevista na manhã desta sexta-feira (26/4) à Folha de S.Paulo e ao El País.

Lula concederá entrevista na manhã desta sexta-feira aos jornalistas Florestan Fernandes Junior e Monica Bergamo
Ricardo Stuckert/Divulgação

O despacho do Superintendente Regional da Polícia Federal, em Curitiba, Luciano Flores de Lima, permite a entrada de outros veículos de imprensa para acompanhar a conversa, dentro dos limites de espaço da sede da PF.

Os jornalistas Florestan Fernandes Junior, do El País, e Monica Bergamo, da Folha, conversarão com o ex-presidente das 10h às 12h. Os dois tiveram os pedidos de entrevista autorizados em setembro passado, mas negados na sequência sob o argumento de que as falas de Lula poderiam influenciar as eleições presidenciais.

As entrevistas seriam exclusivas àqueles jornalistas que pediram para falar com o ex-presidente. A PF estendeu a autorização a outros jornalistas. No entanto, perguntas só poderão feitas por quem Lula der autorização para tal. 

“Com o fim de dar integral cumprimento ao contido naquela decisão, em especial aos direitos constitucionais relativos ao livre exercício da profissão, liberdade de imprensa e do pensamento, assim como o da publicidade dos atos administrativos que não estiverem sob necessidade do sigilo, autorizo a presença de outros jornalistas, além daqueles já nominados na referida decisão, dentro de um limite em que a sala disponível para tais entrevistas suportar e dentro do que for considerado seguro pela análise de risco e para garantir a segurança de todos, especialmente do entrevistado que se encontra sob nossa tutela”, disse o delegado da PF no despacho.

Longo caminho
O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, informou, na sexta-feira (19/4), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, a 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba, a Polícia Federal e os jornalistas interessados sobre a possibilidade de entrevista com Lula.

O relator enviou os ofícios depois de decisão de quinta-feira (18/4) do presidente da corte, Dias Toffoli, para suspender a proibição de que a imprensa conversasse com o petista e publicasse as entrevistas. Toffoli também devolveu os autos a Lewandowski, que então encaminhou os ofícios aos órgãos competentes para dar seguimento à liberação da entrevista.

A decisão foi divulgada no mesmo dia em que o ministro Alexandre de Moraes revogou a própria decisão que determinou a retirada do ar de reportagem da revista Crusoé e do site O Antagonista que menciona Toffoli em delação de Marcelo Odebrecht.

Disputa de liminares
Os pedidos de entrevistas a Lula ganharam repercussão após vaivém de liminares. O ministro Luiz Fux proibiuFolha de entrevistar Lula sob o argumento de que ele estava inelegível e poderia dar declarações com a intenção de influenciar o processo eleitoral. Logo depois, Lewandowski voltou a autorizar a entrevista, porém, Toffoli interveio e manteve a proibição.

Clique aqui para ler a íntegra do despacho.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 25 de abril de 2019, 12h29

Comentários de leitores

3 comentários

curioso

Gilberto Ewald Lenhardt (Advogado Autônomo - Consumidor)

Não precisa nem dizer que é esquerdopata!

O Super-Superintendente

ju2 (Funcionário público)

A autorização da justiça, salvo engano, foi só para a Folha e o El País. O Super-Superintendente, superficial em direito, deu uma super decisão, liberando entrevistas para todo mundo. parece que o Super-Superintende fez uma super besteira.

curioso

Patricia Ribeiro Imóveis (Corretor de Imóveis)

chega a ser engraçado que Lula tenha sido proibido de dar entrevista para não influenciar nas eleições... quando Moro, nas mesmas eleições, vazou áudio sigiloso para influenciar nas eleições...

Mais curioso ainda é que nem mesmo a suspeição de Moro foi reconhecida...

Comentários encerrados em 03/05/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.