Consultor Jurídico

Notícias

Juristas renomados

Ives, Velloso e Misabel aderem a manifesto defendendo o STF

Comentários de leitores

5 comentários

Não sou jurista e muito menos renomado

Advogado (Advogado Autônomo - Previdenciária)

...mas também adiro ao manifesto! O respeito à instituição STF passa pelo respeito a cada um de seus integrantes. Discordar, mais do que um direito, é salutar. Porém, injuriar, difamar, caluniar ou afrontar os ministros do STF é incompatível com a liberdade de expressão. A toda liberdade corresponde igual ou maior dose de responsabilidade.

Temos a obrigação de preservar s nossas instituições

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos , escritor e jurista,
Dentre os renomados advogados, signatários do Manifesto em tela, nenhum deles submeteu ao pernicioso, famigerado caça-níqueis exame da OAB. Isso significa dizer que um bom advogado se faz ao longo dos anos de experiências forenses, e não usurpando papel do Estado ( MEC), gerando fome, desemprego, depressão síndrome do pânico, doenças psicossociais e outras comorbidades diagnósticas, uma chaga social que envergonha o país dos desempregados . Respeitem senhores a Constituição: art. 5-XIII CF é livre o exercício profissional de qualquer trabalho. (...) A própria OAB reconhece isso. É o que atestava o art. 29 § 1º do Código de Ética Disciplina da OAB “Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de advogado conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas. Esse dispositivo foi revogado de forma sorrateira pelo novo Código de Ética da OAB. Lembro que revogação tem efeito “ex-nunc”. Com a palavra o Ministério Público Federal.Dito isso o papel de qualificação é de competência das universidades e não da OAB e de nenhum sindicato. Não há tortura aceitável. Isso é Brasil, país dos desempregados e dos aproveitadores que lucram com o desemprego dos seus cativos. Segundo o Egrégio STF, “A violação do direito ao trabalho digno impacta a capacidade da vítima de realizar escolhas segundo a sua livre determinação. Isso também significa “reduzir alguém a condição análoga à de escravo”. PELO FIM URGENTE DO TRABALHO ANÁLOGO A DE ESCRAVOS A ESCRAVIDÃO MODERNA DA OAB.

.

O STF na berlinda

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

O STF é uma instituição importante para o país que não deve se confundir com atos/práticas isoladas abusivas e até autoritárias/ilegais por parte de alguns de seus membros.
O clima de pressão pela sociedade é salutar e necessária para restabelecer a moralidade e autoridade da Suprema Corte, em face de atos e decisões bastantes duvidosas e controvertidas e outras com viés ideológico ou político.
Agora, todos são unânimes da necessidade de uma purgação do STF, assim como revisar sua composição e, principalmente, as competências como tribunal constitucional.
Por outro lado, as despesas com o Judiciário são muito elevadas, agravada por benesses de duvidosa legalidade, letargia processual, insegurança jurídica, etc, acabam por inflar ainda mais a desconfiança da sociedade.
Quanto menos holofotes para o Poder Judiciário, melhor para a Justiça. Juiz não precisa de boca. A discrição é o segredo de uma boa Justiça.
Juiz que gosta de aparecer na mídia, seja por seus atos de duvidosa legalidade, isenção e improbidade, seja por vaidade, deve procurar outra coisa para fazer, mas longe dos tribunais.

Ninguém é contra o STF.

João B. G. dos Santos (Advogado Autônomo - Criminal)

E sim contra parte da sua atual composição e do formato pelo qual pessoas insignificantes ascenderam ao Pretório Excelso.

Censura!

Levy Moicano (Jornalista)

Juristas defendendo a censura. Censura é ato típico de regime ditatorial.

Comentar

Comentários encerrados em 2/05/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.