Consultor Jurídico

Notícias

Investigação internacional

Investigação do FBI aponta ligação entre Marcos Elias e Gradual, diz jornal

O FBI apontou ligação entre um dos sócios da consultoria de investimentos Empiricus, Marcos Elias, e a empresária Fernanda Lima, dona da corretora Gradual. Os dois trabalharam juntos na Gradual entre 2013 e 2014.

Conforme reportagem do jornal Valor Econômico, Elias confessou, na Justiça americana, ter roubado US$ 752 mil de uma conta nos Estados Unidos, e transferido o valor a uma conta da empresária Fernanda, que responde a um processo no Brasil por fraudes contra fundos de previdência municipais.

De acordo com o jornal, em junho de 2014, Marcos Elias usou identidade falsa para tentar transferir dinheiro de um cliente da Jefferies para uma conta de Fernanda Lima, no Delta Bank, de Nova York. A empresária negou envolvimento no golpe.

O dinheiro na conta da empresária só não foi repassado porque um funcionário da corretora Jefferies, responsável pelas movimentações bancárias, se recusou a fazer a transferência para conta fora da rede do supermercado, como exigido por protocolos. 

Com isso, narra o jornal, Marcos Elias falsificou a identidade de um empregado do supermercado Zaffari que, segundo as investigações do FBI, era chamado de Paulo Renato.

Segundo a reportagem, essa não foi a primeira vez que Marcos tentou transferir recursos da rede para um banco. Um mês depois, ele fez outro pedido à Jefferies para transferir recursos do Zaffari e dessa vez conseguiu enviar o montando para o banco Hapoalim, de Luxemburgo.

Na investigação, diz o Valor, o FBI descobriu nos registros do Hapoalim que essa empresa foi aberta no Panamá uma semana antes de a Jefferies receber o novo pedido de transferência, em julho de 2014. A conta pertencia e controlada por Marcos Elias, de acordo com a reportagem.

Revista Consultor Jurídico, 15 de abril de 2019, 21h19

Comentários de leitores

4 comentários

Grupo gradual

O IDEÓLOGO (Outros)

"O grupo Gradual, que engloba cerca de dez empresas dos ramos financeiro e comercial — lida com fundos de previdência de dezenas de municípios, câmbio e mercado de capitais —, está com parte substancial de seu faturamento mensal penhorado.
A principal empresa, Gradual Corretora, está com seus bens arrestados judicialmente em diferentes ações, por subscrição fraudulenta de ativos podres e em episódios de descumprimento de decisões arbitrais"(Fonte Conjur, 24 de maio de 2017).

Poder

O IDEÓLOGO (Outros)

A elite brasileira é, extremamente, corrupta.

Fernanda lima

O IDEÓLOGO (Outros)

A proprietária da empresa Gradual Investimentos, Fernanda Lima é acusada de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional e Lavagem de Valores.
A Polícia Federal acredita que Fernanda deu um golpe em Institutos de Previdência Municipais, atingindo 3 bilhões.

Ver todos comentáriosComentar