Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Luto na classe

Comunidade jurídica lamenta a morte do ex-presidente do TJ-SP Celso Limongi

Membros da comunidade jurídica lamentaram a morte, neste domingo (23/9), do advogado e ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo Celso Limongi. Ele integrou a magistratura paulista durante 42 anos e atuou no Superior Tribunal de Justiça nos últimos dois anos e meio de sua carreira, entre 2009 e 2011, como desembargador convocado.

O corpo está sendo velado no Velório do Cemitério de Congonhas, sala C (rua Ministro Álvaro de Sousa Lima 101, Jardim Marajoara, São Paulo), até as 13h desta segunda-feira (24/9), de onde seguirá para sepultamento no mesmo cemitério.

Veja algumas manifestações: 

Mauro Campbell, ministro do STJ
"Um excepcional colega, a quem carinhosamente chamávamos de 'O Pequenino', que na verdade era enorme como juiz e cultor do Direito. Uma inestimável perda para o país."

Cesar Asfor Rocha, ex-presidente do STJ
"Uma das maiores lideranças da magistratura brasileira, que sempre reservou atitude de respeito pela advocacia."

Flávio Borges D’Urso, ex-presidente da OAB-SP 
"Como presidente de honra da Abracrim - Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas, lamento profundamente o falecimento do desembargador Celso Limongi, ex-presidente do TJ-SP. O doutor Limongi era um humanista, sensível aos dramas do ser humano, e pautou sua judicatura em prol do semelhante. Dirigiu com maestria nosso complexo Tribunal de Justiça paulista e sempre foi um interlocutor atento aos problemas e reivindicações da advocacia, o que testemunhei quando presidi a OAB-SP. Convocado para o STJ, trouxe as luzes de sua experiência àquela corte, sempre com sensibilidade ímpar. Atualmente aposentado, exercia a advocacia e honrava nossa classe. Tratava-se de um estimado amigo, por todos respeitado e admirado. Seu falecimento deixa uma lacuna em toda família forense."

Daniel Bialski, advogado
"A sociedade paulista e brasileira está triste. O ex-presidente do TJ-SP Celso Limongi iluminou a todos. Homem culto, corintiano fanático, pai dedicado e magistrado brilhante, ele sempre esteve à frente de seus pares. Não é à toa que comandou nossa Justiça e chegou ao STJ. Deixa um legado maravilhoso e um exemplo a ser seguido. Desejo conforto à família e aos amigos."

Nelson Wilians, advogado
"Uma grande perda. Mais uma pessoa que muito agregou ao país com suas ideias e ideais nos deixa. Minhas condolências à família."

Marcelo Vieira de Campos, diretor jurídico do Instituto Recupera Brasil
"Nós do Instituto Recupera Brasil (IRB), unidos em oração, rendemos homenagens ao desembargador e ministro, por sua trajetória marcante para a Justiça do país. Prestamos condolências à família, aos amigos e aos admiradores desse notável magistrado."

Antonio Ruiz Filho, advogado
"Tivemos ótimas relações institucionais, ele à frente da Justiça do Estado, como presidente do Tribunal de Justiça, e eu como presidente da Associação dos Advogados de São Paulo (AASP). Sempre foi sensível aos pleitos da Advocacia, afável e compreensivo. Atendendo à iniciativa da AASP por mim encaminhada de procurar um diálogo mais dinâmico e profícuo, no ano de 2006, na presidência do TJ-SP, rapidamente aceitou que se formasse uma Comissão de magistrados e advogados para buscar a rápida solução de problemas do Poder Judiciário afetos ao regular exercício da Advocacia e do melhor atendimento ao jurisdicionado, àquela altura com a participação da AASP, IASP e da OAB/SP, assim evitando que tudo fosse tratado por meio de ofícios. Aliás, essa Comissão ainda existe, atualmente apenas com membros da OAB/SP. Limongi será lembrado, especialmente, por sua longa folha de serviços prestados ao Judiciário paulista".

Luciano Santoro, advogado
"O desembargador Celso Limongi como magistrado era imparcial, justo e como advogado extremamente atencioso  com seus clientes e competente. Deixa um incrível legado para a justiça bandeirante, sendo um orgulho para todos os paulistas."

Adib Abdouni, advogado
“O cenário jurídico brasileiro perde um de seus maiores expoentes, posto que o ex-presidente do TJ-SP Celso Limongi notabilizou-se por inegável vigor intelectual e elogiável tecnicidade, pautando suas decisões com rigor no que toca à ética e à justiça, sem perder os traços de um comportamento cordial e simpático na relação com os outros. Sua trajetória profissional contém a marca indelével de pronunciamentos sempre precisos e de inabalável sabedoria científica.”

Revista Consultor Jurídico, 24 de setembro de 2018, 10h37

Comentários de leitores

4 comentários

Uma pena

GFerreira (Advogado Assalariado - Trabalhista)

Caros familiares e leitores, tive a honra de ter sido aluno aluno desse Magistrado magnifico e singular, uma das melhores pessoa que conheci, anos após concluir o meu curso na FIG de Guarulhos, o encontrei nos corredores do tribunal ainda magistrado e se lembrou na hora. Imediatamente inclusive chamou pelo meu nome.
Que Deus lhe dê o descanso eterno, cercado de anjos, pois é o que merece. descanso em paz inesquecível professor.

Imensa perda!

José R (Advogado Autônomo)

Um juiz correto, sensato e equilibrado. Um cidadão admirável. Um ser humanista e compassivo. Descansa em paz no lugar reservado aos justos!

Excelente magistrado

Júlio SantosAdv (Advogado Autônomo - Criminal)

Grande perda.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 02/10/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.