Consultor Jurídico

Notícias

Direcionamento regular

TRE-SP autoriza impulsionamento de propaganda por Doria no YouTube

Por 

Por falta de provas, o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo reverteu, na quinta-feira (20/9), liminar que suspendeu propaganda eleitoral da coligação de João Doria por ver direcionamento irregular de buscas no YouTube. 

Na decisão de quinta, o juiz auxiliar da propaganda, desembargador Paulo Galizia, reconheceu a ausência de irregularidade. “Diante da falta de prova de que os representados contrataram as palavras-chaves ‘partido dos trabalhadores’ e que o anúncio a qual remetia era irregular, a improcedência da representação é medida que se impõe”, disse. 

Em decisão anterior, do dia 12, o desembargador observou que ficou demonstrado que, ao buscar pela palavra-chave “partido dos trabalhadores” no YouTube, obteve como resultado, em primeiro lugar, um anúncio de 32 segundos com o título “Gestão Transparente e Eficiente – João Doria”. 

“De modo que, concluiu-se pelo uso da nomenclatura do partido adversário para obter direcionamento de resultados em aplicação de buscas na internet, causando desvantagem na corrida eleitoral perante os eleitores que buscam por este partido no Youtube”, disse o desembargador. 

No entanto, o Google, responsável pelo canal, afirmou que “em análise preliminar da conta não identificou a utilização da palavra-chave 'Partido dos Trabalhadores'”. 

Em nota, os advogados de defesa da coligação de João Doria, Tony ChalitaFlávio Henrique Costa Pereira, afirmaram que o direcionamento irregular nunca aconteceu. “A compra de impulsionamento é legítima e trabalhador é uma palavra convencional”, disseram. 

Clique aqui para ler a decisão.
0605752-42.2018.6.26.0000

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 22 de setembro de 2018, 17h35

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/09/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.