Consultor Jurídico

Notícias

Dedicação integral

Delegado da PF não tem direito a hora extra por sobreaviso, decide TRF-4

A remuneração por subsídios não permite o pagamento de adicionais, muito menos por horas de sobreaviso, que constituem mera expectativa de trabalho. Com esse entendimento, a 4ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região anulou sentença que concedia a delegados da Polícia Federal o direito de gozar de oito horas de descanso para cada 24 horas de sobreaviso.

O caso começou com ação civil pública proposta pelo Sindicato dos Delegados de Polícia Federal no Paraná (SINDPF/PR). A entidade questionou a legalidade do regime de sobreaviso e requereu o direto ao pagamento das horas de sobreaviso na razão de um terço do valor da hora normal ou, subsidiariamente, que a compensação ocorresse na razão de um terço.

Em primeira instância, a 3ª Vara Federal de Curitiba concordou com os argumentos da União de que o regime de remuneração por subsídios, aplicável aos delegados federais, não admite pagamento de qualquer gratificação ou adicional, inclusive a relativa à prestação de serviço extraordinário ou pelo período em que o servidor estiver em regime de sobreaviso. No entanto, deferiu o pedido subsidiário de compensação. Ambas as partes recorreram.

No Tribunal Regional Federal da 4ª Região, as unidades da Advocacia-Geral da União que atuaram no caso reiteraram que a remuneração pelo subsídio já engloba o período de sobreaviso.

Os advogados da União alegaram que os policiais federais estão sujeitos ao regime de dedicação integral e exclusiva, nos termos da Lei 4.878/1965, sendo a jornada de trabalho e a contraprestação pelo trabalho de sobreaviso e plantão regulamentadas pelas portarias 1.253 e 1.252/2010-DG/DPF. Com informações da Assessoria de Imprensa da AGU. 

ACP 5032046-95.2016.4.04.7000/PR

Revista Consultor Jurídico, 22 de setembro de 2018, 14h40

Comentários de leitores

1 comentário

Hora extra x adicional de hora extra

José Cuty (Auditor Fiscal)

O que a lei veda no regime por subsídio é o pagamento do adicional de horas extras, mas não as horas extras trabalhadas.
Negar o pagamento das horas trabalhadas ou a sua compensação é permitir o enriquecimento ilícito da União.

Comentários encerrados em 30/09/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.