Consultor Jurídico

Ofensiva contra universidades

Toffoli, Rosa Weber e ministros defendem livre manifestação nas universidades

Retornar ao texto

Comentários de leitores

4 comentários

Sustentando o inimigo

Jotabe2012 (Advogado Autônomo - Civil)

O povo sua sangue ganhando pouco e pagando a maior carga tributária do mundo, para manter uma escola da esquerda para explorar a classe trabalhadora e destruir o futuro da Nação.

Os "democratas"

Eududu (Advogado Autônomo)

As universidades são espaços públicos e não devem ser usadas para manifestações políticas, de acordo com a Lei Eleitoral.

Os "democratas" se dizem preocupados com autoritarismo e respeito ao judiciário, mas estão simplesmente esculhambando com a autoridade da Justiça Eleitoral e desprezando a legislação aprovada democraticamente.

Certo é um comentário que eu li por aí. "Falar mal do Haddad no whatsapp é ilegal. Fazer propaganda favorável ao Haddad nas universidades públicas é liberdade de expressão."

Pelo fim da hipocrisia, Bolsonaro 17.

Os tribunais baixam regras e se assustam com seu resultado

Luiz Fernando Cabeda (Juiz do Trabalho de 2ª. Instância)

A justiça no Brasil virou um grande disparate, e os tribunais são a sua fonte. Se os juízes leram tarde a célebre frase do Manifesto Comunista "tudo o que é sólido desmancha no ar" talvez tenham tido um entendimento precário. De 1948 para cá outras induções tiveram de ser feitas. Por exemplo, o que RESULTA do que desmancha no ar?
Os tribunais - e, bem mais, alguns ministros - interferem na ordem jurídica pouco se importando com o que "desmancha no ar", que é exatamente a estrutura lógico-demonstrativa dessa ordem.
Aparentemente, os juizados eleitorais que mandaram realizar diligências em universidades agiram dentro da lei, tanto que não se fala em excesso judicial, nem em responsabilidade de juiz por abuso.
Ocorre que o quadro de decadência das universidades, principalmente as públicas, se caracteriza por ser um espaço em que ninguém manda e ninguém obedece.
A título de preservação de uma autonomia na busca do saber, há excesso de militância, de engajamentos excludentes dos que têm interpretações diferentes.
Enfim, os sinos não dobram pelas universidades perante o povo.
Os que invocam titulação acadêmica são os que mais são desmentidos pelos fatos no dia seguinte. Quem não se lembra das bobagens que cientistas políticos disseram no curso desta campanha eleitoral?
O TST baixou mais de 10 resoluções sobre o modo de conduzir o pleito.
É excessivo.
Não contemplou a situação das universidades. Logo, se omitiu. Além disso, elaborar verdadeiras "ordenações" sobre matéria já disciplinada em lei é outro evidente exagero e fonte de confusão.
Por fim, Toffoli não havia pregado o fim do protagonismo dos ministros do STF? Mas, "olha aí gente", como diria um puxador de samba: lá estão Gilmar, Barroso e o próprio Toffoli "professorando"... sobre o que falharam.

livre manifestação?

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Manifestação ideológica e propaganda eleitoral implícitas.

Comentar

Comentários encerrados em 3/11/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.