Consultor Jurídico

Operação greenfield

MPF abre inquérito contra Paulo Guedes para investigar fraudes em fundos

O Ministério Público Federal abriu nesta quinta-feira (25/10) investigação contra o economista Paulo Guedes, que já foi anunciado pelo candidato Jair Bolsonaro (PSL) como seu ministro da Fazenda, caso vença a eleição. Os procuradores apuram supostas fraudes na gestão de fundos de pensão estatais. 

A suspeita é de crimes de gestão fraudulenta ou temerária de instituições financeiras equiparadas e emissão e negociação de títulos mobiliários sem lastros ou garantias. 

A investigação apura investimentos feitos pelos fundos na empresa BR Educacional, da qual Paulo Guedes era sócio. As apurações são feitas pela unidade do Distrito Federal e estão se desenrolando no âmbito da operação greenfield. 

Os advogados de Guedes afirmam que os investimentos deram retorno lucrativo aos fundos. O MPF confirma isso, mas rebate alegando que os ganhos deveriam ser maiores. 

Outro lado
A defesa de Paulo Guedes, feita pelo escritório Ticiano Figueiredo e Pedro Ivo Velloso, divulgou nota afirmando que, além de os investimentos terem dado lucro, a investigação se baseia em um relatório frágil. 

"A investigação se baseia em um relatório fragilíssimo, que tratou de apenas um dentre quatro investimentos realizados pelo fundo. O relatório omite o lucro considerável que o fundo tem propiciado aos investidores e a perspectiva de lucro de mais de 50% do valor investido. Ou seja, não houve qualquer prejuízo às partes envolvidas. Vale ressaltar ainda que o senhor Paulo Guedes jamais teve qualquer poder de deliberação sobre o destino dos investimentos, os quais foram todos aprovados pelo Comitê de Investimentos, formado por membros indicados pelos cotistas."

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 26 de outubro de 2018, 15h46

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 03/11/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.