Consultor Jurídico

Notícias

Cadastro Nacional

Brasil tinha 466 grávidas ou lactantes presas em setembro, diz CNJ

Em setembro, 466 mulheres grávidas ou lactantes estavam presas no Brasil, segundo o Conselho Nacional de Justiça. Desse total, 294 eram gestantes e 172 amamentavam seus filhos em estabelecimentos penais. Os dados representam um aumento de 10% em relação ao mês anterior.

São Paulo é o estado que abriga o maior número de presas gestantes ou lactantes.

São Paulo é o estado que abriga o maior número de presas gestantes ou lactantes: 107 e 57, respectivamente. O Ceará ocupa o segundo lugar, com 25 grávidas e 13 lactantes, enquanto Minas Gerais tem 12 gestantes e 27 lactantes. Nos estados de Amazonas, Roraima, Maranhão, Tocantins e Alagoas não havia detentas nessas condições em setembro.

Lançado em outubro do ano passado, o Cadastro Nacional de Presas Grávidas e Lactantes acompanha continuamente a situação das detentas nessas condições e, a partir de dados encaminhados pelos tribunais de Justiça, é atualizado mensalmente. Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ.

Revista Consultor Jurídico, 18 de outubro de 2018, 11h35

Comentários de leitores

1 comentário

Brasil 466 grávidas ou lactantes presas em setembro diz CNJ

Renato Adv. (Advogado Autônomo - Civil)

Brasil tinha 466 grávidas ou lactantes presas em setembro diz CNJ. = = = Destas presas, além de estarem ligadas as quadrilhas organizadas, o interessante que um grande percentual dessas mulheres, nem ideia fazem quem seja o pai de seus filhos. Que poço fundo é um país de miseráveis sem cultura e educação. Lamentável esse caminho.

Comentários encerrados em 26/10/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.