Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Operação Cash Delivery

Marconi Perillo é preso ao prestar depoimento à Polícia Federal em Goiás

Por 

A 11ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária de Goiás decretou, nesta quarta-feira (10/10), a prisão do ex-governador de Goiás, Marconi Perillo. Ele foi preso enquanto prestava depoimento na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Goiás.

A prisão foi determinada pelo juiz Rafael Angelo Slomp, da 11ª Vara Federal Criminal da capital goiana no âmbito da Operação Cash Delivery, que investiga o pagamento de propina para suas campanhas eleitorais.

O caso tramitava no Superior Tribunal de Justiça, mas foi enviado à Justiça Federal de Goiás em abril, após Perillo deixar o governo para se candidatar ao Senado.

Por nota, o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que defende o político, afirmou que não há fato novo que justifique a prisão do ex-governador.

“O novo decreto de prisão é praticamente um “cópia e cola” de outra decisão de prisão já revogada por determinação do TRF 1. Não há absolutamente nenhum fato novo que justifique o decreto do ex-governador Marconi Perillo, principalmente pelas mencionadas decisões anteriores que já afastaram a necessidade de prisão neste momento. Na visão da defesa, esta nova prisão constitui uma forma de descumprimento indireto dos fundamentos das decisões de liberdade concedidas a outros investigados”, afirmou o advogado.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 10 de outubro de 2018, 17h10

Comentários de leitores

2 comentários

Tratamento igual

Mario Mendes (Administrador)

Quando se trata de lula - inocente - todos os depoimentos de delatores, recibos falsos, notas fiscais e evidências físicas são insuficientes e a prisão é ilegal. Para os demais, basta um "eu acho que o dinheiro que entreguei ao fulano era para o sicrano entregar ao beltrano" basta como prova para prender e jogar a chave fora. No caso do Marconi Perilo, por se juntar ao pt, está pagando pelo que fez.
Quem aos porcos se mistura, do cocho compartilha.

STF

Professor Edson (Professor)

Gilmar solta, Lewandowski solta, Toffoli talvez solte, e Marco Aurélio Mello, bem.... esse soltaria mesmo se o acusado tivesse invadido uma creche e matado todas as crianças, e não é sarcasmo.

Comentários encerrados em 18/10/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.