Consultor Jurídico

Notícias

Multa de R$ 37,5 milhões

Moro levanta sigilo da delação do ex-ministro petista Antonio Palocci

Comentários de leitores

15 comentários

Pergunta simples

Eududu (Advogado Autônomo)

Qual dispositivo constitucional e/ou legal violado com a divulgação do depoimento de Palocci?

Heróis e Mitos

Marco Martins (Outros - Administrativa)

Na época dos estudos na faculdade de Direito, fui "doutrinado" por alguns professores e lavado a crer que o neconstitucionalismo e neoprocessualismo eram a salvação do Brasil e o caminho para uma sociedade menos desigual.

Hoje, passados alguns anos, tenho uma visão totalmente contrária.

No caso concreto, mais vale a aplicação de uma Lei ruim do que uma sentença embasada em princípios e cláusulas gerais.

Princípios e cláusulas gerais só servem para que o magistrado possa afastar a aplicação da Lei e decidir com base em suas convicções pessoais.

Sou a favor da aplicação literal da CF/88, CP, CPP, CPC, etc..

Nesse sentido, nem preciso falar o que penso dessa decisão de Curitiba e de toda essa bagunça que virou o sistema jurídico brasileiro...

Diferenças

Eududu (Advogado Autônomo)

O depoimento de Palocci foi prestado sob o compromisso de dizer a verdade e provar os crimes que relata. É um ato de defesa de alguém que se diz arrependido dos crimes e disposto a colaborar com a Justiça. Palocci assumiu o ônus colaborar com a investigação e dizer a verdade, sob pena não obter os benefícios da delação.

E a divulgação próxima às eleições não parece ter sido proposital. Primeiramente, porque atende a um pedido da defesa de Lula (https://www.oantagonista.com/brasil/decisao-de-abrir-delacao-foi-provocada-por-pedido-de-lula/). E, segundo, porque a marcha processual tem seu tempo próprio, não se condiciona ao calendário eleitoral e nem à vontade de Lula.

Tudo muito diferente da pretendida entrevista de um réu preso, que deve ser realizada por jornalistas amigos do criminoso, que não tem compromisso algum com a verdade, que nunca teve a hombridade de admitir e se arrepender de seus crimes, militante político incorrigível, que insiste em participar e influir nas eleições, desrespeitando o TSE e a Lei da Ficha Limpa. E que já disse em palanque que fará os responsáveis por sua prisão pedirem desculpas.

Palocci está pagando por seus crimes e colaborando com a Justiça.

E Lula, invés de pagar por seus crimes, quer voltar ao poder e acabar com Justiça.

Aqui, ó!

delação Palocci

José Fernando Azevedo Minhoto (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Sou juiz há 25 anos e se faço uma dessas, eu que tenho as costas pequenas e nunca fui herói, com certeza a esta altura estaria afastado da função por ordem do CNJ.
Liberar a delação nesta semana foi, como se dizia antigamente, "de caso pensado".

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

MarcolinoADV (Advogado Assalariado)

Vou perder preciosos 5 minutos de meu dia para lhe responder.

Não sou petista. Votei no Lula em 2002. Em sua reeleição, anulei o voto, da mesma forma que nas eleições vencidas pela Dilma.

Ao menos não precisei usar a camiseta "não tive culpa, eu votei em aécio". Haha

Apenas não o vejo como o culpado por todos os males do Brasil. Inclusive, no início da lava jato já havia fortes indícios de corrupção de todos os partidos. Mas o que fizeram MP, Judiciário e imprensa? Focalizaram todos os esforços para destruir Lula.

O problema é que existem pessoas que nutrem um ódio mortal pelo Lula, que somente a psicologia/psiquiatria pode explicar. Da mesma forma que um certo candidato tem com um tal kit que nunca existiu.

Inclusive boa parte da popularidade deste candidato é culpa do próprio Lula, pois ele (o candidato que se assemelha a um personagem infantil americano) dá vazão ao ódio e preconceito daqueles que não suportam Lula. Mas a discussão aqui não é essa.

É a parcialidade do juízo, que é flagrante. Ele age claramente com viés político eleitoral. Até um "cego" vê isso.

Ora, um documento que, segundo o próprio Juízo, não terá valor algum na julgamento da causa, e que fora juntado parcialmente (cadê o conteúdo sobre os bancos?!?), justamente o trecho em que há acusações contra o ex-presidente, a poucos dias das eleições, serviu para quê?

Gostei...

DrCar (Advogado Autônomo - Civil)

Dr José R, gostei da titulação "o inominável", peço-lhe licença para usa-la em meus comentários. Parabéns. Esse molusco não merece ser anunciado pela alcunha.

A 1 semana da eleição não pode dar entrevista, mas...

Weslei Estudante (Estagiário - Criminal)

A 1 semana da eleição não pode dar entrevista, mas retirar o sigilo pode. Acho que o pleito (isonômico) não tem muito haver com isto. Pelo menos, aquelas que agem sem citar o ordenamento, mas só agem na “moral” deveriam ser moralmente contra os dois (entrevista e levantamento do sigilo),

Ah, quando há posicionamento contra o aborto, vc é coxinha, quando há posicionamento contra decisões contraditórias, vc é petista.

Moralmente pode ser contra os dois, aliás isto seria coerente para quem se serve da moral, mas juridicamente só vi a fundamentação do Lenio no caso da entrevista e, em relação a legitimidade e o recuso adequado ele tem razão, sobre a competência (Fux) tenho minhas dúvidas.

Aos petistas abaixo indicados

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

José R (Advogado Autônomo)

MarcolinoADV (Advogado Assalariado)

antonio gomes silva (Outro)

Silvana Ribeiro (Contabilista)

ju2 (Funcionário público)
.
O que os senhores veem de qualidade/virtude no Lula e no PT? O que os senhores veem de ruim/mau no Lula e no PT?
Sei que será difícil responder (petistas não conseguem argumentar ou fazer mea culpa...), mas.... vou tentar...

Uai?...

Eududu (Advogado Autônomo)

Os defensores do Lula nunca se livram da incoerência. E, agora, além da incoerência estão acompanhados de indisfarçável desespero.

A decisão de Moro tem fundamento na ampla defesa dos acusados e no princípio da publicidade (https://www.oantagonista.com/brasil/decisao-de-abrir-delacao-foi-provocada-por-pedido-de-lula/). Mas isso pouco importa, nem irão ler a decisão. O que importa é chorar. É golpe, buáááá...

E, agora o mais engraçado (se não fosse tão triste), é que entrevistar Lula preso, às vésperas das eleições, mesmo sabendo que o bandido certamente tentará fazer campanha eleitoral e praticar ato ilícito (como ele e o PT fez várias vezes), PODE. Divulgar o depoimento de Antônio Palocci em delação premiada, NÃO.

A entrevista do corrupto que chefiou todo o roubo da nação e permanece em atividade política, é afirmar a liberdade e imprensa e de informação.

Divulgar depoimento de um outro corrupto, que participou do roubo do dinheiro do povo, é querer influenciar a eleição.

Cadê a coerência dos isentos, dos defensores da liberdade?

TOMEM VERGONHA!

E ainda aplaudem esse juiz...

MarcolinoADV (Advogado Assalariado)

"Observo que, apesar da juntada ora promovida, quando do julgamento considerarei apenas, em relação aos coacusados, o depoimento prestado por Antônio Palocci Filho sob contraditório na presente ação penal."

Poderia dizer o seguinte: "Apesar da inutilidade jurídica do documento ora juntado, pois não será levado em conta no julgamento desta ação, é bom deixar (mais) claro que este Juízo pretende claramente influenciar o jogo eleitoral, aliás, como já o fez ao divulgar os áudios de conversa entre o ex-presidente e a então presidente da república poucos dias antes da votação de impeachment".

Moro, Moro, largue a toga e se candidate a algum cargo eletivo. E não se esqueça, os primeiros a perderem as garantias num estado autoritário são os integrantes da magistratura.

Juiz partidario

marias (Contabilista)

Moro faz boca de urna contra Haddad....como pode um país ter um Judiciario tão parcial, perseguidor , partidário, acima da lei e nada acontece....deprimente e torna o povo refén, destes togados loucos pelo poder a qualquer custo...... indignada

Geração perdida

antonio gomes silva (Outro)

Pelos membros do Judiciário e Ministério Público que temos/vemos, pela aceitação e ascensão do candidato fascista em todas as camadas sociais, pela imprensa que temos e políticos, só nos resta uma afirmação: o Brasil está perdido! Podemos constatar também aqui, pelos comentários maldosos, irracionais, raivosos, que incitam a violência, o sectarismo, que menosprezam as regras democráticas e se alinham ao fascismo/nazismo que paira sob nossa sociedade. Estamos num caminho sem rumo, sem volta, o caminho da bagunça institucional, do reacionarismo, da perseguição, das trevas. E isso tende a se agravar, pois percebemos que nossas crianças e jovens estão sendo doutrinados com esse mesmo ódio. Prevejo, pois, que nosso Judiciário, no futuro, esteja permeado de juízes, promotores, procuradores descomprometidos com as causas populares, com a constituição, com as leis em geral. Temos dois tipos-ideias atualmente, um no Direito e outro na política: Moro e Bolsonaro. Eles se completam. Acrescento que temos outro modelo na imprensa, aliás, muitos: Merval, Camarotti, Catanhede, Miriam Leitão etc. Estamos fadados ao fracasso como civilização. Serão necessárias várias gerações para tentar diminuir o estrago que a atual tem feito. Será que haverá conserto? Temo o futuro, que se mostra tão sombrio!

Moro - atuação ilícita

Silvana Ribeiro (Contabilista)

O poder judiciário está manipulando de uma forma desavergonhada o processo eleitoral. Vide decisão do Ministro Fux (sábado, as pressas) e hoje decisão de Moro. Toffoli diz que não tomará nenhuma decisão neste período eleitoral para não, "pois é o momento de o povo refletir e o povo votar", afirmou o ministro (desde que não esteja relacionada ao PT), por outro lado o judiciário a 7 dias das eleições, toma decisão que vislumbra prejudicar o PT. Judiciário mostra nitidamente que tem lado.

Contradições do poder judiciário

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Os fatos que ministro Zé bonitinho Fux teme, são exatamente o que o imperador de Curitiba ignora. Logo o poder judiciário colocando gasolina no fogo eleitoral. Deprimente.

GOLPE continua a todo vapor!

ju2 (Funcionário público)

Os GOLPISTAS vão engolir até o Bolsonaro. Uma VERGONHA de proporções interplanetárias.

Comentar

Comentários encerrados em 9/10/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.