Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

R$ 675 milhões

Livraria Saraiva ajuiza pedido de recuperação judicial

A Livraria Saraiva, rede de varejo em venda de livros, ajuizou um pedido de recuperação judicial nesta sexta-feira (23/11). O valor da dívida é de aproximadamente R$ 675 milhões e foi divulgado em um comunicado oficial da empresa. 

Segundo o comunicado, a companhia tem tentado a renegociação do passivo com os fornecedores desde o início do ano, mas sem sucesso. Por isso, o pedido "é a medida mais adequada nesse momento, no contexto da crise no mercado editorial, reflexo do atual cenário econômico do país".

"Optamos por esse movimento devido à necessidade de buscar proteção para a repactuação de seu passivo e de sua controlada, Saraiva e Siciliano S.A., junto aos seus fornecedores, e garantir a perenidade da operação", diz a nota. Segundo o jornal Estado de S. Paulo, para continuar vendendo produtos eletrônicos, a companhia deverá buscar fazer parcerias com empresas especializadas no setor.

A Saraiva afirmou que o plano de recuperação será apresentado aos credores em breve. O pedido de recuperação judicial foi feito pelo escritório Thomaz Bastos, Waisberg, Kurzweil Advogados e será analisado pela 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais do Foro Central de São Paulo.

1119642-14.2018.8.26.0100

Revista Consultor Jurídico, 24 de novembro de 2018, 11h07

Comentários de leitores

3 comentários

Para que livrarias?

Armando do Prado (Professor)

Parece que os novo ventos do 'Relincha Brasil' combina bem com a situação das principais livrarias - Saraiva e Cultura, esta também em recuperação. Para que cultura? Para que livros? OSPB e Moral e Cívica resolverão tudo.

Quem diria que isso poderia acontecer

Olympio B. dos S. Neto (Advogado Autônomo)

A saraiva é uma editora conhecida em muito importante no mercado.
Tomara que supere esse percalço e se recupere.
Agora acho também que esta editora deveria se reinventar, entrar melhor no mundo da informação, criar sistemas eletrônicos de leitura de livros eletrônicos mais fáceis de operar, começar a buscar produtos em condições melhores, pois a Amazon, o submarino e outras lojas já estão derrubando-a.
Hoje mesmo recebi um livro que adquiri no Submarino com um custo de R$ 100,00 a menos, frete mais barato, e melhor parcelamento.
No mercado é melhor saber concorrer e se reinventar senão a empresa perde mercado.

Livraria saraiva

O IDEÓLOGO (Outros)

Encomendei um livro do jurista Lenio Streck e até agora não o recebi.
O artigo é justificativa, indireta, da demora da Editora e Livraria Saraiva em atender aos seus consumidores. Depois os compradores vão para a Amazon, que é norte-americana, e os editores brasileiros se lamentarão.

Comentários encerrados em 02/12/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.