Consultor Jurídico

Notícias

Cunho eleitoreiro

Candidato a presidente da OAB-DF denuncia adversários por calúnia e difamação

Por 

O advogado e candidato à presidência da OAB do Distrito Federal, Délio Lins e Silva Jr., ajuizou queixa-crime na 5ª Vara Criminal do DF contra os adversários na disputa a presidente e vice, Jacques Veloso e Thaís Riedel, respectivamente. A denúncia, por calúnia, foi protocolada na sexta-feira (16/11).

ReproduçãoDélio afirma que a denúncia tem "cunho eleitoreiro", já que há aproximação da votação para presidência da OAB-DF 

Na petição, Delinho, como é conhecido, reclama de ter sido acusado pelos adversários de desviar dinheiro das anuidades da OAB-DF para fazer uma "festinha particular" em março de 2010. Na época, ele era conselheiro seccional, e agora acusa Jacques e Thaís de caluniá-lo.

A denúncia foi divulgada em um vídeo, no dia 15 de novembro, em que aparecem os nomes de Jacques Veloso e Thaís Riedel, sem identificações dos autores.

Délio pede indenização de R$ 50 mil por calúnia e difamação e diz que a denúncia tem “cunho eleitoreiro e a nítida intenção de prejudicar sua candidatura”, já que a eleição está próxima, marcada para 29 de novembro.  

No documento, Delinho explicou que a tal "festinha" foi um evento institucional, promovido pela diretoria da seccional e pelo Conselho Federal da Ordem, sem sua participação. “Foi realizado na casa de meu pai, conselheiro federal à época, a pedido dos dirigentes do órgão. Era uma homenagem aos conselheiros e presidentes de seccionais da OAB que estavam em Brasília para a primeira sessão do órgão no triênio”, afirmou.

Além disso, o advogado diz que o pedido para usar sua residência foi "exatamente para evitar custos com aluguel de espaço", sendo um favor prestado pelo seu pai.

“Mesmo após duas gestões e seis anos seguidos no comando da OAB-DF (triênios 2013-2015 e 2016-2018), os dirigentes que agora nos acusam nunca tomaram qualquer atitude em relação ao alegado desvio de dinheiro. Fosse verdadeira a denúncia, estariam incorrendo, no mínimo, em falta disciplinar por omissão em relação a toda a advocacia do Distrito Federal”, disse.

Clique aqui para ler a íntegra da petição.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 21 de novembro de 2018, 18h12

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 29/11/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.