Consultor Jurídico

Maior eficiência

CNJ institui política de metas nacionais do serviço extrajudicial

O Conselho Nacional de Justiça instituiu a política de metas nacionais do serviço extrajudicial. O Provimento 79 foi publicado no dia 8 e pretende melhorar a eficiência e qualidade da atividade notarial e registral do país.

Segundo o provimento, as metas nacionais serão anuais e definidas no ano anterior ao cumprimento, no encontro nacional de corregedores do serviço extrajudicial, com local e data definidos pela Corregedoria Nacional de Justiça.

As corregedorias de Justiça estaduais poderão apresentar à Corregedoria Nacional, até o dia 31 de junho de cada ano, propostas de metas nacionais para o serviço extrajudicial. O cumprimento delas será verificado em inspeções e comunicação oficial do órgão local.

“Além de possibilitar uma participação democrática na elaboração das metas do serviço extrajudicial, a sua institucionalização é medida que visa a garantir o contínuo aperfeiçoamento dos serviços notariais e de registro, tornando-os mais eficientes e modernos”, afirmou Humberto Martins, corregedor nacional de Justiça.

A presidência do encontro nacional de corregedores do serviço extrajudicial será exercida pelo corregedor nacional de Justiça, que poderá ser substituído por conselheiro indicado. A coordenação do trabalho ficará sob a responsabilidade de um juiz auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça. Com informações da Assessoria de Imprensa do CNJ.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 15 de novembro de 2018, 13h42

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 23/11/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.