Consultor Jurídico

Notícias

Home office

DPU autoriza que defensor público trabalhe do Canadá

O defensor público Felipe Dezorzi Borges agora vai atender hipossuficientes do Canadá. A Defensoria Pública da União acaba de autorizá-lo a se mudar para Ottawa para trabalhar a distância, por meio de teletrabalho. Antes, ele morava em Bridgetown, na ilha caribenha de Barbados.

De acordo com portaria publicada no dia 5 de novembro, o defensor está de mudança para "acompanhamento de cônjuge". A publicação não diz a data que o defensor vai mudar de domicílio, mas diz que pode fazer isso "enquanto perdurar sua necessidade". Ele é defensor da categoria especial, com salário bruto de R$ 30.166.91, segundo informações do site da DPU.

Citando a resolução 101/2014, a DPU estabeleceu como medida compensatória que Felipe terá aumento na distribuição de processos em 20%.

Revista Consultor Jurídico, 13 de novembro de 2018, 19h12

Comentários de leitores

3 comentários

Trabalho é o que importa III

OHR (Funcionário público)

Talvez a defensoria esteja organizada de tal modo a não lhe encarregar de audiências, em contrapartida ele deve receber um volume bem maior de processos onde deva fazer defesas escritas, ficando as audiências a cargo de outros defensores. Não vejo nenhum problema nisso, no futuro, até as audiências poderão ser feitas por vídeo conferência, o que também desobrigará o Juiz de estar presente fisicamente nas Varas. Hoje dispomos de ferramentas capazes de aferir a produtividade de qualquer funcionário a distância. Exigir a presença física de um funcionário, só para controla-lhe a carga horária, é um atraso, o foco deve ser na produtividade, isso é o que importa. Ganha-se em conveniência, mas perde-se em privacidade, uma vez que seus passos, na internet, poderão, em tese, vir a ser monitorados pelo seu empregador. Sabe aquela fugidinha pra dá uma olhadela no home brocker de sua corretora para ver em que pé anda seus investimentos, pois é, isso poderá ser interpretado como distração por seu empregador.
Bem vindo ao Admirável Mundo Novo do trabalho

Trabalhando, é o que importa II

Alexandre (Advogado Assalariado)

Faço coro ao colega KlausNegri, mas me pergunto como o douto Defensor Público federal fará sustentações orais lá de Ottawa.

Trabalhando, é o que importa.

KlausNegri (Advogado Autônomo - Criminal)

Se ele entregar todo o trabalho que lhe for mandado, é o que importa. Tem muita gente que sai de casa para trabalhar e está cheia de serviço acumulado. Estar fisicamente num local não é garantia de cumprir metas. É melhor um servidor por teletrabalho em dia do que um servidor fisicamente presente com pilhas e mais pilhas de processos atrasados.

Comentários encerrados em 21/11/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.